INAM necessita de 20 milhões de dólares para melhorar previsão do tempo em Moçambique
Vida e Lazer - Ambiente
Escrito por Adérito Caldeira  
Terça, 20 Março 2018 07:17
Share/Save/Bookmark

Foto de Adérito CaldeiraO Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) necessita de pelo menos 20 milhões de dólares norte-americanos (cerca de 1,2 bilião de meticais) para aumentar a sua capacidade de previsão do tempo e dos fenómenos climáticos extremos que cada vez mais fustigam o nosso país. “O ideal seria ter uma estação em cada distrito” revelou o director da instituição.

Nos anos mais recentes, e a medida que os moçambicanos sentem cada vez mais o impacto das Mudanças Climáticas, tem sido notável o esforço dos meteorologistas do INAM manterem o povo atempadamente informado. Contudo, passadas quatro décadas, ainda só as cidades e distritos com aeroportos e aeródromos têm dados precisos sobre o estado do tempo.

O @Verdade perguntou ao director-geral do Instituto de Meteorologia porque ainda não há informação diária sobre dos 154 distritos. “A previsão do tempo começa com a observação. Para ver o que vai acontecer temos que ter olhos nesses sítios e os nossos olhos são as estações meteorológicas”, começou por explicar Adérito Aramuge.

“Temos usados modelos que nos permitem extrapolar o que vai acontecer. Por isso a aposta é na expansão da rede meteorológica e melhoria do aviso prévio, que é um conjunto de factores institucionais que fazem com que o aviso chegue ao destino final” acrescentou Aramuge aclarando que “o ideal seria ter uma estação em cada distrito”.

O desafio do INAM é o da falta de fundos, de acordo com Adérito Aramuge o custo de uma estação meteorológica automática é de aproximadamente 50 mil dólares norte-americanos e a sua aquisição é parte das necessidades quantificadas em 20 milhões de dólares que a instituição procura financiar a curto prazo junto dos Parceiros de Cooperação.

Para além de estações meteorológicas nos distritos por forma a alargar a rede de observação há necessidade de outras estações para o mar, onde não existe nenhuma, é fundamental operacionalizar e expandir a rede de radares assim como centros em cada uma das Regiões de Moçambique.

De acordo com o director-geral do Instituto de Meteorologia há também necessidade de fundos para pesquisas de factores que influenciam o clima e o seu desconhecimento culmina com alguns alertas de mau tempo que não se concretizam.

“Um meteorologista tem e usa conhecimentos já produzidos ao longo de anos, mas hoje em dia já aparece algo a perturbar, por exemplo as mudanças climáticas que distorce os modelos (meteorológicos) existentes e outros factores externos que não sejam conhecidos e de alguma forma interferem por isso é preciso pesquisa-los”, concluiu Adérito Aramuge.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Segunda, 26 Março 2018 08:43
 
Avaliação: / 0
FracoBom