A Universidade Lúrio (UniLúrio) alterou o seu Regulamento de Pedagógico, no seguimento de actos de violência física e psicológica que que foram perpetrados contra caloiros do ano lectivo do 2018, passando a aplicar a pena de “expulsão” ao estudante que a praticar.

Actualizado em Sexta, 08 Março 2019 18:43
 

ArquivoO Calendário Escolar para o Ano Lectivo de 2019 não prevê a inevitável paragem das aulas, durante pelo menos 1 semana, para possibilitar a realização das Eleições Presidenciais, Legislativas e Assembleias Provinciais marcadas para 15 de Outubro. “Não haverá uma interrupção como tal” esclareceu ao @Verdade a ministra da Educação e Desenvolvimento Humano.

Actualizado em Sexta, 26 Abril 2019 09:29
 

O Governo moçambicano anunciou, esta terça-feira (29), a extinção da Universidade Pedagógica (UP) e a sua substituição por outras cinco instituições de ensino superior – cada uma com reitoria autónoma – nas regiões sul, centro e norte.

Actualizado em Sexta, 26 Abril 2019 09:30
 

Doze instituições de ensino superior estão impedidas de funcionarem, nas províncias de Gaza, Inhambane, Sofala, Tete, Zambézia, Nampula e Cabo Delgado, por ausência de condições para o exercício das actividades para as quais foram criadas, o que concorreu, por conseguinte, para a não atribuição de alvarás. A proibição foi decretada pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional (MCTESTP).

Actualizado em Quinta, 24 Janeiro 2019 14:29
 

Foto de Emildo SamboA qualidade no ensino superior não se compadece com a pressa para ser alcançada, mas a sua busca deve ser constante e tornar-se “uma cultura das instituições de ensino”, considerou a presidente do Conselho Nacional de Avaliação de Qualidade (CNAQ), Ana Nhampule, fazendo fé ao ditado popular segundo o qual “a pressa é inimiga da perfeição.”

Actualizado em Segunda, 24 Dezembro 2018 07:54
 

Apenas 746.838 crianças (48,7%), das 1.534.540 que devem frequentar a escola pública, pela primeira vez, em 2019, foram matriculadas, dois meses após o arranque do processo que termina no dia 24 de Dezembro corrente.

Actualizado em Terça, 11 Dezembro 2018 08:42
 

Moçambique poderá atingir a taxa de admissão universal das crianças de seis anos de idade, no ensino primário público, até 2020, o que é confirmado pelo aumento, a cada ano, das taxas de frequência neste nível, mas a escolaridade primária universal continuará um desafio. Será necessário um trabalho persistente para fazer face às muito altas taxas de repetição e abandono, 15 e 20%, respectivamente, bem como à escassez de salas de aulas, sobretudo no ensino secundário.

Actualizado em Quinta, 15 Março 2018 07:59
 

O baixos salário – “apontado como sendo uma das causas da insatisfação no ensino primário e secundário em Moçambique” – as turmas numerosas, os obstáculos na nomeação e mudança de categoria e de escalão, as precárias condições das infra-estruturas escolares, a ausência de valorização da profissão pela sociedade e a falta de residências condignas são alguns desencantos – diga-se, em abono à verdade, já há longos anos conhecidos – dos professores do ensino público, que no entanto assumem que, pese embora não estejam satisfeitos com o seu trabalho, gostam dele e “poucos trocariam a profissão por outra, se houvesse oportunidade para fazê-lo”. Quem o diz é o próprio Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH), num relatório intitulado “Estudo Holístico da Situação do Professor em Moçambique”, divulgado semana finda, em Maputo.

Actualizado em Quinta, 15 Março 2018 07:32
 

O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH) lançou o Plano Nacional de Acção de Leitura e Escrita (PNALE), na segunda-feira (26), em Maputo, numa altura em que se estima, por exemplo, que apenas cinco em cada 100 alunos da 3a. classe no país têm domínio de leitura e escrita. Porém, com o instrumento, que abrange os instruendos com “necessidades educativas especiais” e os “têm as línguas moçambicanas como as suas línguas primeiras”, pretende-se reduzir o índice de iliteracia para 12 em cada 100 petizes, até 2019, altura em que cessa o mandato do actual governo.

Actualizado em Quinta, 15 Março 2018 11:06
 

Foto de Emildo SamboO ano lectivo de 2018 arranca dentro de sensivelmente duas semanas, a 02 de Fevereiro próximo, nas escolas públicas de Moçambique. Na capital Maputo, as matrículas ainda estão em curso em muitos estabelecimentos de ensino, sobretudo da periferia, e decorrem num ambiente de verdadeira azáfama. Os pais e encarregados de educação a procurarem, a todo custo, vagas para os seus educandos da 8a e 11a classes, que registam maior procura a cada início do ano. Há alunos que por conta própria ou a mando dos seus progenitores estão, também, na mesma lufa-lufa, mas as direcções das escolas alegam que não estão em altura de satisfazer a todos devido à exiguidade de vagas. Todavia, a Direcção da Educação e Desenvolvimento Humano da Cidade de Maputo sugere que aqueles que não abrangidos pelo sistema optem pelo ensino à distancia, que este ano contará com mais de 4.400 vagas.

Actualizado em Quarta, 24 Janeiro 2018 09:54