Jogos da Commonwealth: Maria brilha a prata
Destaques - Desporto
Escrito por Redação  
Quinta, 31 Julho 2014 09:03
Share/Save/Bookmark

A corredora Maria Muchavo foi a estrela mais cintilante da delegação de 15 atletas moçambicanos que competiram na 20ª edição dos Jogos dos Commonwealth, na Escócia. Outra Maria, Machongua de apelido, destacou-se nos ringues de boxe enquanto nas piscinas Igor Mogne estabeleceu alguns novos recordes... moçambicanos.

Na prova dos 100 metros paralímpicos, categoria T12 (para deficientes visuais), Maria começou por dominar a sua série de apuramento e, na final, correu a pista 6 do estádio Hampden Park, em Glasgow, em 13 segundos e 33 décimos, conquistando a segunda posição e a medalha de Prata.

Ainda no atletismo, Sílvia Panguana não foi além da oitava e última posição na prova dos 100 metros barreiras. Pior esteve Kurt Couto que, mais uma vez, voltou a desiludir na prova dos 400 metros barreiras; o experiente corredor foi desqualificado.

Melhor esteve o meio fundista Alberto Mamba que estreou-se com um terceiro lugar, que lhe valeu o apuramento para a meia final da prova dos 800 metros. O jovem corredor moçambicano, que ainda deverá competir na prova dos 1500 metros, foi 6º classificado a pouco mais de um segundo do apuramento para a final.

Igor melhora marcas pessoais

Nas piscinas de Glasgow, Igor Mogne destacou-se dos compatriotas, primeiro por haver competido em sete provas diferentes e depois por ter melhorado as suas marcas pessoais, o seu objectivo maior nestes Jogos.

Primeiro nadou, na quinta-feira (24), os 100 metros costas prova em que terminou na 2ª posição mas que não contou para a classificação às meias-finais pois o seu tempo não foi suficiente. Mas o tempo de 1 minuto e 74 décimos é um novo recorde nacional absoluto.

Na prova dos 200 metros livres, o nadador dos Golfinhos de Maputo bateu outro recorde nacional absoluto ao ocupar a 4ª posição com o tempo de 1 minuto, 59 segundos e 85 décimos, tornando-se no primeiro moçambicano a nadar nesta categoria abaixo dos 2 minutos.

Depois, Igor venceu a sua série dos 50 metros costas, porém fez novamente um tempo insuficiente para se apurar-se às meias-finais. Os 29 segundos e 19 décimos constituem, no entanto, um novo recorde pessoal.

O nadador, de 17 anos, voltou a estabelecer um novo recorde nacional absoluto na prova dos 100 metros livres, em que ficou na 4ª posição, com a marca de 54 segundos e 10 décimos.

Igor Mogne estabeleceu outro recorde nacional absoluto nos 100 metros borboleta prova que fez em 58 segundos e 56 décimos. Contudo, o tempo que lhe valeu a 2ª posição voltou a ser insuficiente para se apurar-se às meias-finais.

O nadador venceu a sua série dos 50 metros livres, fixou outro novo recorde nacional absoluto, 24 segundos e 87 décimos, mas novamente não foi qualificado.

Igor venceu outra série, a dos 200 metros estilos, fixou um novo recorde nacional em 2 minutos, 19 segundos e 86 décimos mas, mais uma vez, não foi suficiente para o apuramento às meias-finais.

Igor Mogne, apesar de ter alguns dos melhores tempos da natação moçambicana, ainda está longe dos melhores nadadores da Comunidade de Países que foram colónias inglesas.

Competiram também nas piscinas de Glasgow Jannan Sonnesnchein, Shakil Fakir e Edmilson Cuna. Shakil melhorou o seu recorde pessoal nos 50 metros livres enquanto Emídio Cuna superou a sua marca nos 50 metros mariposa.

Judo sem medalhas

Neuso Sigaúque foi o melhor dos três judocas que representaram o nosso país nestes Jogos. O judoca venceu dois dos quatro combates, na categoria de -60 kg, em que participou, num dos quais lutou pela medalha de bronze.

Edson Madeira, na categoria dos -73 kg, até venceu o primeiro combate, mas acabou por ser eliminado pelo ganês Emanuel Nartey. Bruno Luzia competiu na categoria dos -66 kg e não passou do primeiro combate.

Outra Maria salva a honra dos pugilistas

Juliano Máquina, Augusto Mathuli e Bernardo Marrime, os três pugilistas que representaram Moçambique nos Jogos da Commonwealth, chegaram à capital escocesa, combateram e foram eliminados. Máquina, que era tido como favorito a conquistar uma medalha, foi eliminado pelo pugilista do País de Gales, Ashley Williams, de 19 anos, por 3 a 0, na categoria dos -49 kg. Mathuli foi derrotado pela mesma marca pelo indiano Mandeed Jangra, na categoria dos -69 kg e Marrime lutou e perdeu na categoria dos -64 kg contra o zambiano Charles Lumbwe.

A honra de Moçambique foi salva pela pugilista Maria Machongua que venceu dois combates: primeiro derrotou Nthabeleng Mathaha, do Lesotho, e depois derrotou Keneilwe Rakhudu, do Botswana.

À hora do fecho desta edição Maria preparava-se para disputar a semi-final, na quinta-feira (01), na categoria dos -60 kg, frente à indiana Laishram Devi.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom