Mahafil: um clube que abdicou do Campeonato da Cidade de Maputo para requalificar as suas infra-estruturas
Destaques - Desporto
Escrito por Duarte Sitoe  
Sexta, 31 Julho 2015 09:34
Share/Save/Bookmark

Depois de ter estado perto da Poule de Apuramento ao Moçambola do ano transacto, o Mahafil decidiu abandonar o Campeonato de Futebol da Cidade de Maputo para reabilitar as suas infra-estruturas. Segundo Valgy Suleymane, chefe do departamento de futebol daquela colectividade, no seu regresso aquele clube histórico da capital moçambicana vai lutar para ascender ao Moçambola.

Numa altura em que o Desportivo de Maputo e o Maxaquene gastam avultadas somas de dinheiro para alugar campos para acolher os seus jogos no Campeonato Nacional de Futebol, o Mahafil, colectividade que caminha a passos largos para o centenário, optou por abdicar do Campeonato da Cidade no que diz respeito à modalidade de futebol para reabilitar o seu património.

Um exemplo que, diga-se em abono da verdade, os dois vizinhos, considerados grandes do nosso futebol, deviam seguir.

Para o chefe do departamento de futebol do clube quase cêntuplo, que em 2013 se sagrou campeão da segunda prova mais importante da capital moçambicana, a Taça Maputo, a decisão de abandonar o Campeonato de Futebol da Cidade de Maputo foi tomada pela direcção, com o apoio dos sócios, com vista a restruturar o património da colectividade.

“No ano passado a direcção do Mahafil tomou a decisão de não participar no Campeonato da Cidade de Maputo no que diz respeito aos seniores. A decisão foi deliberada na Assembleia Geral, por isso, no presente está a ser melhorado o campo e outras infra-estruturas do clube”.

Ascender ao Maçambola será o objectivo do Mahafil em 2016

Ao abdicar da fina-flor do futebol da cidade das acácias, o conjunto que em 2014 foi orientado pelo consagrado técnico Miguel dos Santos, segundo o nosso interlocutor, tinha ambições para o futuro, uma vez que no Moçambola as exigências são diferentes das do Campeonato da Cidade.

“Quando nos reunimos em Assembleia Geral traçámos os objectivos para o ano de 2015 e vimos que havia a necessidade de reabilitar as nossas infra-estruturas. Temos campo, mas não temos espaço para albergar os adeptos e preferimos levar o valor que era alocado á equipa sénior para a construção das bancadas”, disse Valgy para depois acrescentar o seguinte: “as bancadas fazem parte da primeira fase do projecto, uma vez que ainda falta construir balneários e sanitários públicos. Vamos melhorar mais o nosso estádio no que toca a relva natural. Queremos atacar a próxima época a pensar no Moçambola; porém, primeiro temos que fazer uma boa figura no Campeonato da Cidade para conseguirmos um lugar na Poule de Apuramento e depois disso lutaremos por uma vaga no escalão principal do futebol nacional”.

Apesar de ter renunciado à alta-roda do futebol da capital moçambicana, o Mahafil continua a movimentar os escalões de formação, visto que na presente temporada os iniciados e juvenis foram inscritos nas respectivas provas.

Em 2016 teremos um novo Mahafil

Para atacar os dois primeiros lugares do Campeonato da Cidade de Maputo que, posteriormente, garantem o apuramento para a Poule de Apuramento ao Moçambola, o Mahafil será obrigado a começar de zero, ou seja, contratar novos jogadores.

Valgy Suleymane, chefe do departamento de futebol, declarou que a direcção daquele conjunto vai formar uma nova equipa e, para tal, conta com alguns jogadores que fizeram parte do último plantel.

Além dos atletas que já conhecem os cantos à casa, o Mahafil vai contratar desportistas com créditos firmados para alcançar os objectivos preconizados para a temporada que já está à porta.

“Contamos com alguns jogadores que fizeram parte da equipa no ano passado, caso eles apareçam, mas vamos contratar atletas experientes e mais competitivos com vista a formar um grupo forte capaz de lutar pelos objectivos que foram preconizados pela direcção para o próximo ano”.

Na época passada, o Mahafil esteve próxima da Poule de Apuramento e quando muitos pensavam que, este ano, o clube iria lutar com todas as armas para chegar à competição que apura o representante da zona sul ao Moçambola de 2016, o emblema renunciou ao Campeonato da Cidade. Para Valgy Suleymane, além do plano da restruturação das infra-estruturas, as intransigências da Associação de Futebol da capital do país pesaram para que a colectividade abandonasse a competição.

“Na época passada o organismo que tutela o futebol na cidade era muito intolerante, visto que nos criou muitas dificuldades ao longo do campeonato, mas, mesmo assim, lutamos até o término do mesmo. Tínhamos uma equipa forte para lutar pela conquista do título; contudo, devido à inflexibilidade e ao nosso plano de reabilitação decidimos abandonar a prova”.

Atenção Desportivo e Maxaquene: Mahafil disponível para alugar o campo

O Desportivo de Maputo e o Maxaquene são dois emblemas que, apesar de constarem no lote dos ditos grande do futebol moçambicano, ainda não têm estádio para realizar os seus jogos. Aliás, os alvinegros nem possuem espaço para treinar.

Depois de concluir a reabilitação do seu campo, o Mahafil pretende alugá-lo para gerar receitas. “Após a restruturação das infra- estruturas, caso apareça um conjunto interessado em alugar o nosso estádio não fecharemos as portas, uma vez que é uma fonte de rendimento para os clubes”.

Importa referir que além do fundo que seria alocado ao plantel sénior na presente temporada, o Mahafil conta com o valor de aluguer das bombas de combustível, que se encontram nas suas instalações, para financiar a restruturação do seu património.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Sexta, 31 Julho 2015 09:56
 
Avaliação: / 1
FracoBom