Escrito por Hélder Xavier  
Quinta, 06 Dezembro 2012 22:32
Share/Save/Bookmark

MDM congressoO debate sobre a Programa e os Estatutos do partido dominou o segundo dia de actividades do primeiro Congresso do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), onde, entre outros aspectos, defendeu-se a necessidade de uma administração pública mais efectiva, útil e acessível ao cidadão.

Dignidade, humanismo, justiça e progresso são alguns dos pilares que se assentará a acção do Movimento Democrático de Moçambique nos próximos anos. “Defendemos uma política contra a pauperização de todos os cidadãos como forma enganadora de tornar a sociedade mais igualitária e justa”, lê-se a dada altura no Programa do partido, no qual o MDM compromete-se a criar mecanismos para o progresso social, económico e cultural. Além da política de soberania e dignidade e fortalecimento do direito democrático, o documento avança sobre as políticas a serem seguidas para a criação de oportunidades de emprego, trabalho e melhoria das condições sociais dos moçambicanos.

O Programa para os próximos cinco anos, aprovado por unanimidade pelos congressitas, visa introduzir mudanças reais na esfera política e económica, na criação de um Governo legítimo e forte, estável e sujeito a um controlo e fiscalização eficiente por uma Assembleia da República democraticamente eleita a qual deverá ter poderes suficientes para que a representatividade do eleitorado não seja objecto de manipulações. O partido acredita que essas mudanças irão introduzir novas relações de trabalho a nível da governação.

Um partido endividado

No que respeita à questão financeira, a actual saúde financeira terceira maior força política do país não é das melhores. Desde a constituição da bancada parlamentar, o MDM passou a receber algum dinheiro do Orçamento Geral do Estado para o funcionamento do partido. Em 2010 e 2011, recebia pouco mais de 500 mil meticais e, em 2011, passou a receber cerca de 615 mil meticais, uma quantia que o partido considera irrisória, mas importante para custear as despesas com o arrendamento de imóveis que servem de sede em todo país. Esta organização política ainda não possui imóveis próprios, estando neste momento a pagar arrendamento em todas sedes provinciais e distritais, com a excepção da cidade de Maputo.

O MDM adquiriu a crédito 10 viaturas avaliadas em pouco mais de nove milhões e seiscentos mil meticais, deste valor o partido só conseguiu pagar não mais de três milhões de meticais. Refira-se parte desses veículos não se encontra a funcionar.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom