Escrito por Redação Nampula  
Terça, 06 Janeiro 2015 13:13
Share/Save/Bookmark

Na sua primeira reacção à volta do alegado descontentamento de “majores e coronéis”, em serviço na Academia Militar “Marechal Samora Moisés Machel” em Nampula, o Ministério da Defesa Nacional (MDN) reconheceu a existência de oficiais desobedientes e com espirito de insubordinação naquele estabelecimento militar de ensino superior.

Em conversa telefónica com o @Verdade, o adido de Imprensa do MDN, o major Benjamim Marcos Chabualo, falou de oficiais superiores, em número não especificado que se encontram suspensos das suas actividades, por atropelo sistemáticos das normas militares aos quis foram instaurados os respectivos processos disciplinares. Em finais do ano passado, importa referir, o @Verdade publicou uma reportagem na qual alguns membros das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) denunciavam alegadas suspensões arbitrárias de oficiais na maior instituição de ensino militar.

Em resposta, Chabualo disse que a direcção daquela instituição tem a autonomia de tomar medidas para quem quer que seja, de acordo com o prescrito no regulamento militar. “Os oficiais militares conhecem os seus direitos e deveres e conhecem onde podem recorrer em caso de alguma infracção e não aos órgãos de informação”, disse, sublinhando que “se foram suspensos é porque agiram fora dos procedimentos internos”.

Para o nosso entrevistado, embora se trate de uma instituição tutelada pelo Ministério da Defesa Nacional, a Academia Militar é uma instituição autónoma, sob ponto administrativo e patrimonial, o que significa dizer que o comandante tem o mandato de zelar pela gestão de todos os seus recursos, bem como controlar o comportamento dos seus subordinados.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom