Escrito por Adérito Caldeira  
Quarta, 16 Maio 2018 07:57
Share/Save/Bookmark

João Machatine regressa às Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos como ministro, em substituição de Carlos Bonete Martinho que durante a manhã de terça-feira (15), ainda como titular do cargo, conduziu o presidente do Parlamento da China na primeira viagem oficial de automóvel na ponte Maputo – Katembe. No início de um novo ciclo eleitoral a nomeação do até agora director do INGC deixa a impressão que Filipe Nyusi está a reforçar a máquina governamental com apparatchiks.

“O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, o uso das competências que lhe são conferidas pela alínea a) do número 2 do artigo 160 da Constituição da República, nomeou através de Despacho Presidencial João Osvaldo Machatine para o cargo de Ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos”, indica um comunicado da Presidência da República que não indica os motivos da exoneração de Carlos Bonete Martinho do cargo que ocupou desde Janeiro de 2015.

De 45 anos de idade, natural de Chicumbane na província de Gaza, João Osvaldo Moisés Machatine é formado em Engenharia civil e foi vice de Bonete no início do mandato de Filipe Nyusi, o qual apoiou fervorosamente na campanha eleitoral de 2014, durante sete meses altura em que foi nomeado para dirigir o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades(INGC).

Machatine, que antes de ingressar no Governo de Filipe Nyusi foi Administrador no grupo Insitec do ministro Celso Correia, aparenta ter gerido com eficácia o INGC, durante o período que Moçambique enfrentou a pior seca em mais de três décadas, dando sinais de transparência que terá merecido o reconhecimento inclusivamente dos Parceiros de Cooperação.

Carlos Bonete que teve a ingrata missão de gerir as Obras Públicas num período de falta de dinheiro, devido a crise económica e financeira, terá sido o ministro que menos quilómetros de estrada construiu, edificou quase nenhuma casa para o povo e aparenta estar a gerir mal a crise de água potável que afecta a capital do país.

Aliás Bonete parece ter uma má relação com a água visto que após ter dirigido a barragem de Corumana, entre 1988 e 1993, foi director de implementação do projecto da barragem de Massingir, entre 1996 e 2010, período em que aconteceu uma ruptura no empreendimento e até hoje não se conhecem os resultados da sindicância que na altura foi realizada. De 2010 a 2014 Carlos Bonete dirigiu a reabilitação da barragem de Nacala todavia até hoje o fornecimento do precioso líquido não melhorou na cidade portuária Norte.

Entretanto, e no início de um novo ciclo eleitoral, particularmente tendo em vista as Eleições Gerais de 2019, o regresso de João Machatine ao Governo deixa a impressão que Filipe Nyusi está a cerrar as suas fileiras reforçando a máquina governamental com apparatchiks, como são Conceita Sortane na Educação, Nyeleti Mondlane na Juventude e Desportos ou do “todo poderoso” José Pacheco que dirige os Negócios Estrangeiros.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 3
FracoBom