Escrito por Emildo Sambo  
Terça, 19 Fevereiro 2019 07:43
Share/Save/Bookmark

Foto de Emildo SamboManuel Zeca Bissopo já não é secretário-geral da Renamo, desde a última sexta-feira (15), na sequência da sua exoneração pelo presidente do partido, Ossufo Momade. Este demitiu ainda o chefe do seu gabinete, Mateus Augusto, e no seu lugar nomeou Viana Magalhães, ora director do gabinete de eleições.

O partido ainda não indicou outro secretário-geral e não se pronunciou a respeito do assunto.

Segundo os estatutos da Renamo, o secretário-geral é eleito. Ele é a entidade que coordena as actividades político-administrativas das estruturas do partido, a nível nacional.

Após o sexto congresso, realizado entre 15 e 17 de Janeiro deste ano, circularam informações segundo as quais Elias Dhlakama, irmão do falecido líder Afonso Dhlakama, era o próximo a ocupar aquele cargo.

O chefe do Estado-Maior e outros três oficiais de alta patente da Renamo foram igualmente destituídos e transferidos da base da Gorongosa para antigas bases nas províncias de Manica e Tete, segundo a Agência Lusa.

Contudo, Ossufo Momade não se referiu a esta informação, nem de leve, na teleconferência dada na segunda-feira (18), a partir da Serra da Gorongosa, para os seus correligionários em Maputo.

Manuel Bissopo era secretário-geral da “perdiz” desde Junho de 2012. Ora, ele é deputado da Assembleia da República (AR), desde 2009, pelo círculo eleitoral de Sofala, sua terra natal.

Em Janeiro desde ano, ele concorreu para a presidência da Renamo e foi derrotado por Ossufo Momade.

Em 2018, ele foi cabeça-de-lista da Renamo nas eleições autárquicas, no município da Beira, mas não venceu o escrutínio.

Ossufo Momade mexeu ainda mais na estrutura hierárquica do partido. Ele dispensou também Inácio João Reis e reconduziu-o ao cargo de chefe de Departamento de Mobilização.

Augusto Magaure Fernando foi bafejado pela mesma sorte e continuará a chefiar o Departamento de Organização e Estatística.

António Severino Timba foi igualmente destituído e, de seguida, nomeado para encabeçar o Departamento de Administração e Finanças. O seu adjunto chama-se Mateus Muchanga Maptsuca.

Gilberto Pedro Jonathan Chirinza permanece chefe adjunto de Departamento de Informação, dirigido pelo actual porta-voz da Renamo, José Manteigas Gabriel. Este substitui na função Jerónimo Malagueta Nalia.

António Augusto Eduardo Namburete não é mais chefe do Departamento de Relações Exteriores, que passa a ser dirigido por Manuel Massungue Moiane, sem adjunto, por enquanto, na sequência da exoneração de José Manteigas, que assume o cargo acima referido.

Ossufo Momade demitiu ainda Álvaro Faquir Caul, do cargo de chefe Adjunto de Departamento de Administração Rural e Poder Local, e reconduziu-o à mesma posição na qualidade de dirigente principal. O cargo que era assumido por Lúcia Xavier Afate.

Albano Bulaunde José foi afastado da função de chefe do Departamento de Assuntos Sociais e Desmobilizados. No seu lugar ascendeu o general Faustino Adriano, que tem como adjunto Manuel João Simango.

Domingos Manuel Joaquim permanece como chefe adjunto do Departamento de Mobilização.

Ossufo Momade justificou as mexidas no organograma da Renamo com o que classificou como revitalização da “estrutura político-administrativa” do partido com vista a torná-lo “mais operativa e funcional”, tendo em conta que no dia 15 de Outubro deste ano há eleições presidenciais, legislativas e provinciais.

“Neste momento, o essencial para a Renamo é estar focado na vitória do pleito eleitoral do dia de 15 de Outubro de 2019”.

Dirigindo-se aos membros da Comissão Política, do Conselho Jurisdicional e a outros militantes da “perdiz” concentrados na sua sede em Maputo, Ossufo Momade afirmou, em teleconferência, que é “preciso colocar quadros em posições e sectores partidários” onde os mesmos “podem ser mais eficazes e eficientes”.

“Queremos aumentar a eficácia das nossas actividades e estamos cientes de que os nomeados irão desempenhar as suas funções com zelo, responsabilidade, competência e no espírito de concórdia no seio da família Renamo, respeitando a hierarquia sem confundir a democracia interna com o liberalismo ou anarquia”, disse o político.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom