Escrito por Adérito Caldeira  
Domingo, 27 Outubro 2019 23:24
Share/Save/Bookmark

Foto de Adérito CaldeiraAbdul Carimo Sau, revelou neste domingo (27) que os mandatários dos partidos políticos de oposição denunciaram a Comissão Nacional de Eleições (CNE) diversas irregularidades alegadamente ocorridas desde o recenseamento até a votação das Eleições Gerais deste ano, contudo “sem apresentar provas materiais”.

Durante o anúncio do apuramento geral dos resultados das 6ªs Eleições Presidenciais, Legislativas e 3ªs das Assembleias Provinciais o presidente da CNE revelou que durante o debate sobre o conteúdo da centralização nacional e apuramento geral da votação do passado dia 15 de Outubro “alguns vogais da Comissão Nacional de Eleições” denunciaram diversas irregularidades ocorridas nas mesas de assembleia de voto antes e durante as operações, nas sessões de centralização e apuramento das comissões distritais de eleições ou de cidade e ilícitos eleitorais que reportam a fase anteriores, “sem contudo apresentar provas”.

“Depois da apresentação dos mapas da centralização nacional e apuramento geral, durante a sessão da Assembleia Nacional, no dia vinte e seis de Outubro de dois mil e dezanove, os mandatários dos partidos Renamo, Nova Democracia e Podemos tomaram a palavra, tendo feito uma retrospectiva das irregularidades relatadas desde o recenseamento até a fase de votação e apuramento parcial, centralização e apuramento distrital e centralização provincial, sem apresentar provas materiais dos factos referidos”, referiu Abdul Carimo Sau.

Os resultados anunciados pela CNE e que dão larga vitória ao partido Frelimo e aos seus candidatos vão ser submetidos, dentro dos próximos 5 dias ao Conselho Constitucional que deverá em 2 semanas proclamar o vencedor do pleito, caso não existam recursos ao apuramento realizado pelos órgãos eleitorais.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom