Escrito por Emildo Sambo   
Terça, 16 Outubro 2018 08:09

Foto de Adérito CaldeiraTerminou o apuramento intermédio dos resultados das eleições de 10 de Outubro corrente. Das 53 autarquias, a Frelimo ganhou em 44, a Renamo em oito, e o MDM em apenas um. A Comissão Nacional de Eleições (CNE) procede, agora, ao apuramento geral, com base nas actas e nos editais do apuramento intermédio [artigos 124 e 25 da Lei 7/2018, de 3 de Agosto]. Tem 15 dias para concluir o processo, contados a partir do encerramento da votação [artigo 128 da Lei 7/2018, de 3 de Agosto].

 
Escrito por Emildo Sambo   
Segunda, 15 Outubro 2018 07:51

Foto de Erik CharasContinua, fora dos prazos legais e no meio de muito suspense, o apuramento intermédio dos resultados das eleições de 10 de Outubro em curso. Em muitas das 53 autarquias os resultados já são conhecidos. A Frelimo venceu, sob forte contestação e em alguns casos de forma bastante apertada, em todos os municípios da região sul, considerado seu bastião. Mas foi por um triz que não perdeu a cidade da Matola – zona industrial do país – a cidade carbonífera de Moatize e vila do Alto Molócuè. A demora com que a Comissão Nacional de Eleições (CNE) e o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) tornam público os resultados da votação é de tal sorte que aumenta a ansiedade do eleitorado, gera nervos à flor da pele na oposição e retira transparência ao processo. O MDM parece conformado. Está quieto e calado.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Segunda, 15 Outubro 2018 07:48

ArquivoO líder interino da Renamo, Ossufo Momade, emitiu, no sábado (13), um mau sinal para as negociações sobre a paz em Moçambique, ao ameaçar romper com o processo, o que dá indicações de que, afinal, as últimas mexidas às leis eleitorais não foram razoáveis para conferir lisura, transparência e justeza às eleições. Segundo ele, não restam dúvidas de que as eleições autárquicas de 10 de Outubro não só foram caracterizadas por “inúmeras irregularidades”, desde o recenseamento eleitoral, como também foram “um verdadeiro fiasco”.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Terça, 09 Outubro 2018 07:39

Pessoas ainda não identificadas invadiram o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE), no distrito do Ile, província da Zambézia, e apoderaram-se de 15 urnas e 24 coletes de membros das mesas de assembleia de voto.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Sexta, 12 Outubro 2018 07:40

Foto de Adérito CaldeiraO Movimento Democrático de Moçambique (MDM) deixou os seus créditos em mãos alheias nas eleições de quarta-feira (10). Foi severamente vexado em todos os municípios e perdeu dois (Quelimane e Gurúè) dos três que ainda estavam sob sua gestão. Na Beira, os votos até aqui amealhados pela Frelimo e Renamo sugerem um trabalho difícil para Daviz Simango, porque não terá uma maioria de assentos na assembleia autárquica. A Renamo vai gerir os municípios da Ilha de Moçambique, de Monapo, Angoche, Chiure, Quelimane e Alto Molócuè. E pode ter mais, pese embora a Frelimo leve vantagem em várias autarquias.

 
Escrito por Redação   
Quinta, 11 Outubro 2018 07:43

O Presidente da República, Filipe Nyusi, mandou tornar público o “Memorando de Entendimento Sobre Assuntos Militares”, cujo conteúdo era desconhecido na íntegra, desde o início das conversações entre o Governo e a Renamo. O Desarmamento, a Desmobilização e a Reintegração (DDR) dos homens da Renamo vai durar 210 dias (sete meses), contados a partir de 06 de Outubro em curso, em que o Chefe do Estado anunciou o início da desmilitarização.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Quarta, 10 Outubro 2018 05:37

Foto de Emildo SamboEsta quarta-feira (10), os residentes dos 53 municípios moçambicanos escolhem os presidentes dos conselhos autárquicos e os membros das assembleias autárquicas. Só em Maputo, a capital política e económica do país, 615.537 eleitores escolhem quem os deverá servir de 2019 a 2023. O processo será vigiado por 3.757 delgados de candidaturas. São os olheiros dos partidos políticos.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 10 Outubro 2018 05:26

Foto de Adérito CaldeiraO Governo de Filipe Nyusi continua a violar a lei adiando a instalação da Alta Autoridade da Indústria Extractiva (AAIE) que, por força da Lei de Minas, deveria ter entrado em funcionamento em Agosto de 2015. Questionado pelo @Verdade o ministro Max Tonela disse existir apenas “um draft da proposta” das competências que serão atribuídas a essa instituição que deverá melhorar a monitoria das tentativas de evasão fiscal por parte das multinacionais que exploram os nossos recursos minerais.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Terça, 09 Outubro 2018 07:37

Perto de quatro milhões de moçambicanos são chamados às urnas, esta quarta-feira (10), para elegerem os presidentes dos conselhos autárquicos e os membros das assembleias autárquicas dos 53 municípios.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 6 de 113