Escrito por Redação   
Quarta, 27 Dezembro 2017 08:22

O Tribunal Judicial de Sofala (TJS) condenou, na semana finda, os co-réus José Sarmento, Samuel Sotho e Djeisse Sitoi a 24 anos de prisão maior, e Jeremias Muianga a 18 anos, indiciados de rapto de uma criança que estava a caminho da escola, em Maio do ano passado, na cidade da Beira.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Terça, 26 Dezembro 2017 05:47

Foto de Emildo SamboAs declarações de Zófimo Muiuane em tribunal, segundo as quais é inocente e está a ser acusado injustamente de assassinato a tiros da sua esposa Valentina Guebuza, foram desacreditadas e rebatidas pelos peritos da medicina legal que examinaram o corpo da vítima. A conclusão a que eles chegaram, de acordo com os mesmos inabalável e irrefutável, indica que os dois projécteis que tiraram a vida da filha do ex-Presidente da República, Armando Guebuza, na noite de 14 de Dezembro do ano passado, não foram disparados à boca-tocante ou queima-roupa. Significa os disparos “podem ter sido efectuados à curta ou longa distância”.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Sexta, 22 Dezembro 2017 08:30

Foto cedida pela Assembleia da RepúblicaAguardando o “Pacote sobre a Descentralização”, que acredita-se será determinante para a Paz efectiva em Moçambique, encerrou nesta quinta-feira(21) a VI sessão Ordinária da Assembleia da República(AR) que resumiu-se a chancelar os dispositivos legais que o Governo submeteu para o seu próprio funcionamento. Todavia matérias propostas pelos partidos da oposição foram liminarmente barradas pelo partido Frelimo.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Sexta, 22 Dezembro 2017 08:27

Os padrinhos de casamento e baptismo de Valentina Guebuza, filha do antigo Chefe do Estado, Armando Guebuza, disseram ao tribunal que a afilhada era molestada, maltratada, acusada de ter amantes pelo esposo Zófimo Muiuane, agora no banco dos réus, acusado de assassinato, na noite de 14 de Dezembro de 2016. Eles sabiam, através da própria vítima, que o casal estava em rota de colisão mas não lhes ocorreu que se tratava de assunto que podia acabar em morte. Por isso, no dia em que tiveram o último encontro, o conselho foi de que o casal devia pautar pelo diálogo, tolerância e ponderação, o que não aconteceu.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Sexta, 22 Dezembro 2017 08:07

Foto de Júlia ManhiçaO irmão mais velho e padrinho do réu Zófimo Muiuane disse em tribunal, esta quinta-feira (21), que ele e a sua família não sabiam, até a data do assassinato de Valentina Guebuza, que esta e Zófimo viviam uma “relação de fantochada” e tão-pouco faziam ideia de que o casal enfrentava problemas que acabariam em tragédia, tal como ocorreu na noite de 14 de Dezembro de 2016. Na presença dos demais, o casal “transmitia confiança e um exemplo de amor e carinho”. Por isso, quando os Muiuanes souberam, mais tarde, que havia desavenças bicudas que resvalaram para a morte, sentiram-se preteridos na intermediação de um mal que, afinal de contas, já era de domínio dos padrinhos da vítima e dos pais parentes da mesma.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Quinta, 21 Dezembro 2017 08:10

Foto de Júlia ManhiçaO Tribunal Judicial da Cidade de Maputo (TJCM) condenou, na quarta-feira (20), 22, dos 24 co-réus acusados de defraudar o Estado, através do Fundo de Desenvolvimento Agrário (FDA), a penas de prisão que variam de 18 meses a 18 anos de prisão maior, algumas das quais suspensas e substituídas por multas, e ainda absolveu os outros arguidos, por ausência de provas dos crimes de que eram acusados.

 
Escrito por Redação   
Quinta, 21 Dezembro 2017 08:04

Manuel Tocova, que no seu curto cargo como edil interino do Concelho Municipal da Cidade de Nampula (CMCN) envolveu-se em polémicas, foi condenado a 10 meses de prisão, convertidos em multa, por posse ilegal de arma de fogo. Sobre o seu comparsa, Pedro Maria, antigo deputado na Assembleia da República (AR) pela bancada da Renamo, pesava o crime de aluguer de forma ilícita de arma de fogo, tendo-lhe sido aplicado castigo similar.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Quarta, 20 Dezembro 2017 07:10

O irmão da falecida Valentina Guebuza disse ao tribunal, na terça-feira (19), que o seu cunhado Zófimo Muiuane, incriminado de assassinato com recurso a uma arma de fogo, é uma pessoa de poucas falas e hipócrita. Constrangia habitualmente a sua esposa e tinha atitudes reprováveis, mas na presença da família da malograda fazia-se passar por uma pessoa educada e com um comportamento cortês.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Quarta, 20 Dezembro 2017 07:02

O bilhete de identidade sul-africano supostamente falso, encontrado na posse de Zófimo Muiuane, durante as investigações por assassinato a tiros da sua esposa Valentina Guebuza, filha do ex-Presidente da República, Armando Guebuza, na noite de 14 de Dezembro de 2016, na residência da vítima, onde o casal vivia, em Maputo, é verdadeiro. O próprio réu disse ao tribunal, na segunda-feira (18), que prestara falsas declarações sobre o documento em questão, para salvaguardar “os interesses do Estado”. Porém, foi-lhe atribuído pelo Serviço de Informações e Segurança do Estado (SISE), há 15 anos.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 8 de 92