Escrito por Adérito Caldeira   
Quinta, 14 Fevereiro 2019 07:31

Foto de Adérito CaldeiraA Sociedade Civil moçambicana pretende que o Fundo Monetário Internacional (FMI) diga “claramente ao Credit Suisse que não pode lavar as mãos como fez Pilatos, dizer que foram uns funcionários que fizeram e o banco não sabia” de acordo com Adriano Nuvunga a Justiça norte-americana trouxe novos elementos ao caso das dívidas ilegais “a parte dívida ilegal foi a concretização de uma fraude, portanto muda de figura por completo e há regras internacionais”.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Quinta, 14 Fevereiro 2019 07:27

O Governo moçambicano apreciou, na terça-feira (12), a legislação sobre a descentralização, processo que prevê, entre outras inovações, a eleição dos governadores provinciais, a partir das eleições gerais marcadas para o dia 15 de Outubro deste ano, e dos administradores distritais, a partir de 2024. O dossier relativo a estas matérias ainda será submetido à Assembleia da República (AR), para os devidos efeitos.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Quinta, 14 Fevereiro 2019 07:12

Após 26 anos do fim da guerra civil em Moçambique, também conhecida como a “guerra dos 16 anos”, várias mulheres seguem perturbadas, com sequelas físicas e psicológicas, sem meios de subsistência e tão-pouco perspectivas de futuro. Pior, a sociedade exclui-lhes, não obstante o Governo estar a promover formas de protecção das mulheres, estímulo à sua emancipação e observância dos mesmos direitos e deveres relativamente aos homens, refere uma pesquisa lançada terça-feira (12), em Maputo.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 13 Fevereiro 2019 07:28

Foto da Presidência da RepúblicaO Presidente Filipe Nyusi declarou em Adis Abeba que não percebe porque os países africanos continuam a ser pobres, embora tenham se libertado da escravatura. Uma das razões ignoradas por Filipe Nyusi, no caso Moçambique, é que “volvidos mais de 40 anos de independência, o partido libertador ainda apresenta um modus operandi muito semelhante ao do antigo colonizador, uma clara reprodução do sistema contra o qual lutou durante dez anos” explicou o académico Zefanias Matsimbe.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Quarta, 13 Fevereiro 2019 07:22

O Governo e a Procuradoria-Geral da República (PGR) continuam incapazes de interceder a favor das comunidades cujos direitos são sistematicamente infringidos pelas empresas de exploração mineira em Moçambique, em particular na área de extracção de rubis, em Namanhumbir, distrito de Montepuez, província de Cabo Delgado. Quem o diz é a Coligação Cívica sobre a Indústria Extractiva (CCIE), que também considera incompreensível o facto de o Estado não ter conseguido levar a mineradora britânica Montepuez Ruby Mining (MRN) à barra do tribunal, com vista a ressarcir a população pelos maus-tratos e danos causados.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Terça, 12 Fevereiro 2019 07:33

Foto de Emildo SamboO ministro da Defesa Nacional, Atanásio M’tumuke, empossou, na segunda-feira (11), em Maputo, seis oficiais para diferentes áreas estratégicas das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) e a apelou para que evitem corrupção e a sobre facturação na aquisição de bens. As declarações do governante podem não ter sido à toa, pois aquela instituição do Estado ainda está ensombrada por um dos maiores desfalques de vários milhões de meticais no Comando do Exército.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Terça, 12 Fevereiro 2019 07:25

Foto da Presidência da RepúblicaO Presidente Filipe Nyusi aproveitou a Cimeira da União Africana, que decorreu na Etiópia, para voltar a sensibilizar o seu homólogo da Cyril Ramaphosa no sentido de ajudar a extradição de Manuel Chang para Moçambique. É que embora a detenção esteja a ser dirimida num tribunal a decisão final sobre a extradição cabe ao Ministro sul-africano da Justiça e Serviços Correcionais.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Terça, 12 Fevereiro 2019 07:05

Foto de Emildo SamboO ministro da Defesa Nacional, Atanásio M’tumuke, acautelou aos oficiais generais da Renamo a esquecerem o partido de que provêm, a não se envolverem em política durante o exercício das funções para as quais tomaram posse, esta segunda-feira (11), e devem obedecer a um só comando, porque qualquer acto contrário será reprimido. Por sua vez, a equipa que acompanha o processo que levará, quiçá, ao desarmamento da Renamo, anseia que as partes em conflitos cheguem a um “acordo final de cessação das hostilidades e de paz até Abril de 2019”, pois só assim as eleições gerais marcadas para Outubro próximo terão lugar num ambiente “livre da ameaça de violência”.

 
Escrito por Redação   
Segunda, 11 Fevereiro 2019 07:17

O Governo moçambicano recuou da sua decisão e orientou o ministro da Defesa Nacional, Atanásio M’tumuke, a nomear, em definitivo, na última sexta-feira (08), para o Estado-maior General das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM), os oficiais generais da Renamo, que em Dezembro passado tinham sido indicados para exercerem, interinamente, as funções de directores dos departamentos de Operações, de Informações Militares e de Comunicações, respectivamente. Eles tomam posse esta segunda-feira (11).

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 10 de 127