Escrito por Emildo Sambo   
Quinta, 09 Abril 2015 07:47

A consolidação da unidade nacional, paz e soberania; o desenvolvimento do capital humano e social; a promoção do emprego, da produtividade e competitividade; o desenvolvimento de infra-estruturas económicas e sociais e a gestão sustentável dos recursos naturais e do ambiente são as prioridades do Governo moçambicano para o quinquénio 2015-2019. No tocante aos “prós” e “contras”, a Frelimo defende a sua "apreciação positiva" porque “sintetiza o compromisso de assegurar a estabilidade política, social e económica” e facilita a fiscalização da Assembleia da República (AR); porém, a Renamo e o MDM pretendem o contrário por alegada falta de concisão, clareza e soluções objectivas para a garantia do bem-estar do povo.

 
Escrito por Redação   
Segunda, 06 Abril 2015 09:52

Na sequência da troca de tiros, na última quinta-feira (02), entre os guerrilheiros da Renamo e as Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM), no posto administrativo de Nalazi, no distrito de Guijá, em Gaza, o que consubstancia uma clara violação da Lei no. 29/2014, que aprova o Acordo sobre a Cessação das Hostilidades Militares, Afonso Dhlakama diz que se tratou de um incidente sobre o qual não assume a autoria e, antes que a sua guerrilha lhe desobedeça, vai falar com o Presidente da República, Filipe Nyusi, para que imponha ordem nas suas forças.

 
Escrito por Luís Nhachote   
Sexta, 03 Abril 2015 09:00

Valentina Guebuza e Mussubuluko Guebuza, rebentos de Armando Guebuza que se terão destacado como "empresários" no decénio 2004-2014, temporada em que o seu progenitor detinha as rédeas do partido Frelimo e do Estado, tiveram participação societária por cinco meses na pujante sociedade Home Center. A Home Center é praticamente o grupo onde o Estado moçambicano tem adquirido o seu mobiliário, quer por Procurement público, quer por adjudicação directa. Sendo públicas as vastas ramificações da teia de interesses económicos daquela família, em quase todos os sectores de actividade ecónomica, o @Verdade procurou entender o que teria sucessido para que os filhos de Guebuza, primeiro se juntassem e depois se apartassem da Home Centre em tão curto espaço de tempo! Não encontrámos respostas cabais...

 
Escrito por Luís Rodrigues   
Sexta, 03 Abril 2015 08:48

Os funcionários do sector da Saúde, em Nampula, estão divididos quanto à designação e cessação dos dirigentes, ao mais alto escalão de nível provincial e acusam a direcção do Ministério da Saúde (MISAU) de estar a nomear indivíduos incompetentes para, supostamente, satisfazerem interesses obscuros.

 
Escrito por Redação   
Domingo, 29 Março 2015 12:18

E no 4º, e último dia da IV sessão ordinária do Comité Central do Partido Frelimo que decorre na Matola, Armando Guebuza demitiu-se da Presidência do Partido "após consultar alguns membros". Filipe Nyusi, o Presidente de Moçambique, é o sucessor natural.

 
Escrito por Redação   
Terça, 24 Março 2015 08:08

Prevalece a falta de entendimento entre o Governo e a Renamo em relação à restrição da influência ou domínio partidário na Administração Pública. A “Perdiz” não quer que os servidores públicos, o Presidente da República e os dirigentes por este indicados realizem actividades político-partidárias nas instituições do Estado, das 07h30 às 15h30, mas o Executivo defende o contrário.

 
Escrito por Redação   
Segunda, 23 Março 2015 09:05

Em menos de dois anos, alguns cidadãos do município de Vilanculos manifestam-se descontentes com a gestão de Abílio Machado, a quem certos funcionários acusam de recorrer a métodos ditatoriais para tomar alguns decisões a favor de terceiros, como aconteceu, por exemplo, no caso que envolve a instituição que dirige e os donos do Complexo Samara, que chegaram a ser detidos e transportados para uma esquadra como se fossem cães, quando tentavam impedir a destruição de uma ponte aérea erguida com base em madeira e um muro de protecção costeira defronte das suas instalações.

 
Escrito por Redação   
Segunda, 16 Março 2015 11:56

A 07 de Fevereiro de 2014, Mahamudo Amurne tomou posse como novo edil da cidade de Nampula e prometeu limpar, em 100 dias, através de um projecto denominado “Warya Wa Wamphula”, a urbe que estava infestada de lixo. Volvido mais de um ano desde a sua tomada de posse, o plano revela-se um fiasco. Nas avenidas do Trabalho, das FPLM e Eduardo Mondlane e nas várias ruas no interior dos bairros de Napipine, Natikiri, Murrapaniua, Muahivire, Muatala, Muhala e Namicopoos resíduos sólidos resultantes das actividades domésticas e comerciais são o principal obstáculo à circulação de pessoas, para além do cheiro nauseabundo de que os munícipes se queixam.

 
Escrito por Luís Rodrigues   
Terça, 10 Março 2015 10:15

O governo estabelece o prazo máximo de 75 dias, contados a partir da última quinta-feira (5), para o início do processo de requalificação dos bairros mais propensos a problemas ambientais, derivados da ocupação desordenada dos assentamentos informais, e da retirada coerciva das famílias que residem a menos de 50 metros do leito do rio Muhala, na cidade de Nampula.

 
Início Anterior 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 Seguinte Final

Pág. 91 de 119