Escrito por Adérito Caldeira   
Terça, 08 Maio 2018 07:46

Foto de Timothy Haccius Zitamar NewNo dia do falecimento de Afonso Dhlakama o Presidente Filipe Nyusi afirmou que estava “muito deprimido porque eu devia ter conseguido transferir a ele, não me deram tempo, até para dizer que ele já estava há uma semana mal só me disseram há um dia”. Questionado por que motivo o partido Renamo não avisou mais cedo sobre o estado de saúde do seu líder o deputado José Manteigas, disse que: “Afonso Dhlakama se ficou até a sua morte nas matas da Gorongosa é porque o Presidente da República mostrou-se relutante na retirada das Forças de Defesa e Segurança” da serra da Gorongosa.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Segunda, 07 Maio 2018 07:58

Os jornalistas moçambicanos continuam a operar num ambiente hostil, o qual se equipara a “caminhar em campo minado à noite” e faz com que a “liberdade de imprensa” esteja “no vermelho”, diz o MISA-Moçambique, alertando que a situação pode se deteriorar durante o período eleitoral que inicia este ano, com a realização das quintas eleições autárquicas a 10 de Outubro, e se prolonga até 2019, em que a 15 de Outubro terão lugar as eleições gerais (presidenciais e legislativas) e das assembleias provinciais.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Sábado, 05 Maio 2018 18:35

Foto de Adrien BarbierO órgão máximo do partido Renamo elegeu por unanimidade Ossufo Momade para dirigir interinamente a formação política até realização Conselho nacional, em data ainda por anunciar. Já marcadas estão as cerimónias fúnebres de Dhlakama, falecido vítima de doença na quinta-feira (03), iniciam na próxima quarta-feira (09) na cidade da Beira e o enterro vai acontecer na sua terra natal em Mangunde, no distrito de Chibabava, na quinta-feira (10).

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Sábado, 05 Maio 2018 10:45

Foto de Adrien BarbierO partido Renamo, após reunião extraordinária da sua Comissão Política nacional, que decorreu durante a tarde desta sexta-feira (04) na cidade da Beira, pronunciou-se pela primeira vez de forma oficial sobre a morte do seu presidente, apelou "a todos os membros e simpatizantes e a sociedade em geral muita calma e coragem" e revelou que Afonso Dhlakama faleceu às 8 horas de quinta-feira (03), vítima de doença.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Sexta, 04 Maio 2018 20:18

O Conselho de Ministros decidiu que Afonso Dhlakama, líder do partido Renamo falecido nesta quinta-feira (03), terá funeral oficial em local e data ainda a serem anunciados. Em reunião extraordinária durante a tarde desta sexta-feira (04) o Governo de Moçambique decidiu ainda adiar as viagens de Estado que o Presidente Filipe Nyusi tinha agendadas para os próximos dias.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Sexta, 04 Maio 2018 08:02

Foto de Emildo SamboA classe jornalística parou na quinta-feira (03) para celebrar a sua data, o Dia Internacional da Liberdade de Imprensa. Em Moçambique, a liberdade de imprensa – um dos instrumentos fundamentais de escrutínio das acções do Governo e do exercício do poder – ainda é considerada incipiente, devido à tendência crescente de se restringir o direito de a media dispor do acesso livre à informação e colocá-la ao dispor de todos, sem qualquer tipo de amarras políticas, para que os cidadãos se instruam e questionem a quem os governa.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Sexta, 04 Maio 2018 07:50

O quadro sénior do maior partido da oposição no país, Rahil Khan, foi eleito membro do Conselho de Estado, na quinta-feira (03), pela Assembleia da República, em substituição de Jeremias Pondeca Munguambe, assassinado a tiros na manhã de 08 de Outubro de 2016, na cidade de Maputo.

 
Escrito por Emildo Sambo   
Quinta, 03 Maio 2018 07:23

As pessoas que se envolverem em actos de terrorismo em Moçambique podem apanhar penas que vão até 24 anos de prisão, à luz da lei aprovada na quarta-feira (02), por consenso, pelas três bancadas parlamentares. Todavia, a oposição apelou para que a mesma norma não seja usada para acções de perseguição política.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Segunda, 30 Abril 2018 08:10

Foto de Adérito CaldeiraA Procuradora Geral da República afirmou na Assembleia da República que alguns dos investimentos no sector imobiliário na capital moçambicana são provenientes do branqueamento de capitais. Esta relação apontada por Beatriz Buchili já havia sido feita em 2011 pelo seu antecessor. O @Verdade sabe que até alguns dos beneficiários das dívidas ilegais investiram os dólares que receberam em alguns dos mais luxuosos apartamentos edificados recentemente em Maputo.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 2 de 95