Escrito por Redação   
Sexta, 05 Janeiro 2018 07:45

O mês de Dezembro foi marcado por situações negativas. De forma deliberada o Ministério de Interior impediu a entrada de turistas estrangeiros ao nosso país, o que de certa forma revelou a falta de bom senso por parte das autoridades moçambicanas. Este facto, sem dúvidas, marcou, de forma negativa, os moçambicanos. Além disso, a exoneração e nomeação do cargo de ministro da Agricultura e Segurança Alimentar para o de ministro de Negócios Estrangeiros e Cooperação, e a morte da cantora Zena Bacar, foram outros aspectos marcantes (pela negativa) no mês de Dezembro de 2017.

 
Escrito por Redação   
Sexta, 05 Janeiro 2018 07:22

O mês de Novembro foi marcado pelas notícias dando conta de que a Dívida Pública ultrapassou os 100 milhões de meticais, avaliação negativa da governação do Nyusi no Índice de Governação Africana feita pela Fundação Mo Ibrahim e, por fi m, o facto de o aeroporto de Mavalane continuar a ser a porta de exportação para os traficantes dos troféus de caça furtiva.

Actualizado em Sexta, 05 Janeiro 2018 07:45
 
Escrito por Redação   
Quinta, 04 Janeiro 2018 07:49

Em Outubro, os moçambicanos foram surpreendidos com o assassinato bárbaro do presidente do Conselho Municipal da Cidade de Nampula, Mahumudo Amaurane. Este acontecimento chocou o país inteiro, não só por ter sucedido no dia em que o país comemorava mais um dia de paz, mas sim por se tratar de um homem que foi combatente acérrimo da corrupção. Marcaram ainda este mês os diversos actos infantis protagonizados pelo então edil interino de Nampula, Manuel Tocova, e o atestado médico forjado pela procuradora de Tete, Ivánia Taibo Mussagy

 
Escrito por Redação   
Quinta, 04 Janeiro 2018 07:41

No mês de Setembro, a notícia dando conta do afundamento de Moçambique no “Ranking de Competitividade” foi um dos aspectos mais marcantes. Aliado a esta situação, o iniciou do julgamento da antiga Presidente de Conselho de Administração do Fundo de Desenvolvimento Agrário e o regresso da selecção de hóquei em patins com o inglório oitavo lugar, perdendo o estatuto da melhor selecção africana, também foram os temas que chamaram atenção dos moçambicanos em Setembro de 2017.

 
Escrito por Redação   
Quarta, 03 Janeiro 2018 07:10

O aparatoso acidente de viação que se deu em Inhambane onde deixou seis óbitos e 28 feridos foi um dos principais acontecimentos que marcou o mês de Agosto. Além disso, o facto de o Presidente Nyusi encontrar-se com líder da Renamo em Gorongosa, para além do Governo da Frelimo ter “enterrado” mais de meio bilhão de meticais nas Linhas Aéreas de Moçambique, foram também os aspectos marcantes no mês de Agosto.

 
Escrito por Redação   
Quarta, 03 Janeiro 2018 07:00

Em Julho, as escondidas o Governo de Nyusi encareceu o custo de água potável canalizada, juntando-se aos restantes agravamentos que tornaram cada vez mais alto o custo de vida para os moçambicanos. No Desporto, os “Mambas” foram eliminados precocemente do CHAN em pleno estádio nacional do Zimpeto. Por fim, os moçambicanos avaliaram a metade do primeiro mandato de Nyusi como medíocre e com tendência para mau.

 
Escrito por Redação   
Quinta, 28 Dezembro 2017 22:00

Em Junho, um dos acontecimentos mais marcantes foi a divulgação do tão esperado relatório da Auditoria feita pela Kroll às empresas Proindicus, EMATUM e MAM. Também marcaram este mês o suborno para construção do aeroporto de Nacala e o facto de o Estado moçambicano não ter conseguido fi nanciamento bancário para realizar o capital relativo a sua participação no consórcio que está a construir a fábrica flutuante de gás natural liquefeito em Cabo Delgado.

 
Escrito por Redação   
Quinta, 28 Dezembro 2017 21:52

Numa altura em que a sociedade moçambicana ainda questionava as dívidas ocultas, o Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário, foi ao Parlamento moçambicano mentir sobre as dívidas contraídas ilegalmente afi rmando que as mesmas pertenciam as empresas. Outros acontecimentos que marcaram o mês de Maio foram o relatório do Banco Mundial que concluiu o que todo moçambicano já sabia sobre a inefi ciência do Ministério da Agricultura, e a prisão de moçambicanos no estrangeiro.

 
Escrito por Redação   
Quinta, 28 Dezembro 2017 08:37

Ao contrário de Abril de 2016 no qual os moçambicanos foram brindados com situações bastantes revoltantes, em 2017 as situações foram, digamos, suaves. Os factos que marcaram o mês foram a legalização das dívidas da Proindicus e MAM, a suspensão da liberdade condicional concedida a Nini Satar e, por fim, no desporto, o sorteio do Clube Ferroviário da Beira, que culminou no grupo A da Liga dos Campeões Africanos.

 
Escrito por Redação   
Quarta, 27 Dezembro 2017 08:35

Diversas situações anómalas marcaram os moçambicanos no mês de Março, à semelhança de outros meses. Os moçambicanos foram surpreendidos com a notícia dando conta da falha da Proindicus no pagamento da segunda prestação do empréstimo ilegalmente avalizado pelo Governo de Armando Guebuza. A queda de uma aeronave fretada pela empresa Cornelder de Moçambique, e o relatório do Centro de Integridade Pública (CIP) revelou aquilo que todos os moçambicanos já sabiam: a falta de transparência nas Mais-Valias pagas ao Estado moçambicano.

 
Escrito por Redação   
Terça, 26 Dezembro 2017 06:02

O mês de Fevereiro não foi diferente de Janeiro. O mês foi marcado por habituais situações que deixam os moçambicanos intrigados. Desde a má gestão de milhões de meticais no Hospital Central de Maputo, a maior unidade sanitária do país, passando pela denúncia pública feita pelo então edil de Nampula, Mahamudo Amurane, até a evidência de que o crime de corrupção compensa.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 6 de 54