Escrito por Adérito Caldeira   
Sexta, 18 Agosto 2017 08:49

Foto de Adérito CaldeiraO Banco Mundial continua indiferente às dívidas ilegais da Proindicus e MAM, que levaram a suspensão do apoio directo ao Orçamento do Estado(OE) pelo Fundo Monetário Internacional e outros parceiros de cooperação. Entre Abril e Junho últimos a instituição financeira injectou mais 38,7 milhões de dólares norte-americanos no erário moçambicano que acrescentem aos mais de 55 milhões de dólares norte-americanos transferidos durante o primeiro trimestre de 2017.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quinta, 17 Agosto 2017 08:31

Foto de Adérito CaldeiraCalisto Cossa, o presidente do Concelho Municipal da Cidade da Matola, decidiu espremer os “matolenses” aumentando várias taxas. Além da taxa do lixo, que aumentou entre 50% a 70%, foram agravadas várias taxas que penalizam os pequenos empreendedores, com destaque para os vendedores ambulantes que vão pagar mais 100%, a taxa para os munícipes com negócios em casa foi aumentada em 400%, e até os vendedores de amendoim torrado e gelinho vão pagar mais.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 16 Agosto 2017 07:51

Falhada a promessa de edificar 35 mil novas habitações para os moçambicanos até 2019 o Governo de Filipe Jacinto Nyusi propõe-se agora a construir 138 mil novas casas sociais até 2029. Contudo o problema fundamental mantém-se: são necessários pelo menos 989 milhões de dólares norte-americanos para construção, o Orçamento do Estado não é solução(aliás este ano não disponibilizou um único metical para a Habitação), e não há crédito de habitação que torne as casas acessíveis para a maioria dos cidadãos que sejam honestos trabalhadores.

Actualizado em Quarta, 16 Agosto 2017 14:49
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Terça, 15 Agosto 2017 08:21

Foto de Adérito CaldeiraPelo terceiro ano consecutivo a energia volta a ficar mais cara em Moçambique, nas novas tarifas que entram em vigor nesta terça-feira(15) o maior aumento percentual é para os grandes consumidores da Electricidade de Moçambique(EDM), 33,4%, porém quem sofre novamente o maior agravamento nominal são os consumidores domésticos, mais de 2 meticais por cada Quilowatt-hora(kWh). Um dos motivos deste novo aumento é que Cahora Bassa é “nossa” mas os seus clientes preferenciais não são os moçambicanos e por isso a EDM que tem de comprar energia mais cara às centrais privadas de energia a quem deve mais de 10,5 biliões de meticais. Paradoxalmente a tarifa para os mais pobres só beneficia cerca de cinco mil clientes e nem os agricultores usam a tarifa reduzida que lhes é destinada.

Actualizado em Terça, 15 Agosto 2017 08:32
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Segunda, 14 Agosto 2017 08:11

O Banco de Moçambique(BM) reconheceu que “o nível de endividamento público interno mantém-se elevado e representa um factor de risco para as projecções de inflação”. O @Verdade revelou em Abril que o Governo de Filipe Nyusi fez crescer a Dívida Pública Interna em mais de mil por cento, de 69,2 milhões de meticais em 2015 disparou para 97,7 biliões de meticais em Junho de 2017. Não é conhecida a sustentabilidade da Dívida Pública Interna mas o que é facto é que o Executivo tem estado a pagá-la através da contratação de nova dívida, a sua intenção é aumenta-la em mais 65 biliões de meticais este ano, porém os investidores parecem estar com receio de continuarem a compra-la.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 1 de 56