Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 24 Outubro 2018 07:54

Apresentação do Banco de MoçambiqueEmbora Rogério Zandamela destaque os resultados positivos das negociações com os bancos comerciais para a redução das taxas de juro do crédito à economia o último Comité de Política Monetária (CPMO) do Banco de Moçambique (BM) decidiu “cautelosamente”, enquanto aguarda pelos resultados das Eleições Autárquicas e das negociações para a Paz, interromper a descida das taxas directoras de referência mantendo a de Política Monetária (MIMO), nos 15 por cento estabelecidos em Agosto, a taxa da FPC inerte nos 18 por cento, desde Abril, assim como a taxa da FPD continua nos 12, desde Agosto.

Actualizado em Quarta, 24 Outubro 2018 08:24
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Terça, 23 Outubro 2018 08:26

Foto cedida pelo Banco de Moçambique“Bancos centrais não estão no negócio de buscar lucros, é muito importante isso, comparado a bancos comerciais. Lucros ou mesmo perdas não são objectivos nem primários nem secundários do banco central” esclareceu Rogério Zandamela, confrontado nesta segunda-feira (22) com a reprovação das demonstrações financeiras do Banco de Moçambique (BM) pelo consultora KPMG. O Governador enfatizou “salvamos o sistema, o Moza está bem, o sistema bancário está hoje mais sólido do que nunca”.

Actualizado em Terça, 23 Outubro 2018 09:47
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Segunda, 22 Outubro 2018 07:53

A primeira prioridade do Plano Económico e Social de Filipe Nyusi para 2019 é fazer propaganda das “realizações” positivas da sua governação usando a rádio e televisão públicas sob coordenação do Gabinete de Informação.

Actualizado em Segunda, 22 Outubro 2018 08:14
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Sexta, 19 Outubro 2018 07:53

Foto da Presidência da RepúblicaO presidente do partido Frelimo saudou nesta quinta-feira (18), na qualidade de Chefe de Estado, a Comissão Nacional de Eleições (CNE), o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) e a Polícia da República de Moçambique (PRM) pois “souberam gerir o processo eleitoral”, diga-se mais um que não foi livre, justo e muito menos transparente.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quinta, 18 Outubro 2018 08:25

Foto de Adérito CaldeiraO ministro da Economia e Finanças declarou que Moçambique não tem interesse em indexar a reestruturação das dívidas contraídas com Garantias ilegais pela Proindicus, EMATUM e MAM ao desempenho económico dos próximos anos como propuseram os credores. “Nós não estamos em condições para ficar nesta incógnita de podermos ficar 50 anos a pagar uma coisa” explicou Adriano Maleiane.

Actualizado em Quarta, 07 Novembro 2018 09:59
 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 3 de 87