Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 11 Julho 2018 08:18

Grafismo de Nuno TeixeiraA promessa do Presidente Filipe Nyusi de não descansar “enquanto não tiver um país sulcado de vias de acesso transitáveis” é cada vez mais uma miragem. Em 2018 apenas 150 dos 455 quilómetros de estradas nacionais e regionais serão reabilitadas. Somente mais 250 quilómetros de estradas deverão ser asfaltadas para uma meta de mais de 2 mil quilómetros no final do mandato. O motivo, que não é assumido publicamente, é a crise precipitada pela descoberta das dívidas da Proindicus e MAM.

Actualizado em Quarta, 11 Julho 2018 11:40
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Terça, 10 Julho 2018 07:02

Foto da Presidencia da RepúblicaO Presidente Filipe Nyusi reconheceu nesta segunda-feira (09) que modelo económico que colocou o nosso país a crescer a uma média de 7 por cento até antes da descoberta das dívidas ilegais “afigura-se insustentável”, não tendo no entanto apresentado uma alternativa de desenvolvimento que não aumente o número de pobres. Discursando numa das únicas empresas pública que não está em falência o Chefe de Estado anunciou triunfalista que os nossos principais indicadores económicos “marcam o início do pós-crise” em Moçambique.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Segunda, 09 Julho 2018 08:26

Foto do Ministério das Obras Públicas Habitação e Recursos HídricosAs dívidas ilegais continuam a condicionar o desenvolvimento de Moçambique, o sector das estradas é um dos mais afectados pela suspensão do apoio dos Parceiros de Cooperação. Dos 127 biliões de meticais que o Ministério das Obras Públicas Habitação e Recursos Hídricos necessitava em 2017 apenas conseguiu financiamento de cerca de 11,7 biliões deixando dezenas de milhares de quilómetros de estradas prioritárias por serem intervencionados. “As estradas são as veias por onde corre o desenvolvimento” afirmou João Machatine que herdou um pelouro que no ano passado só conseguiu intervencionar 14.037 quilómetros de vias de acesso, principalmente não asfaltadas, mas considera que 32 por cento dessas vias são boas.

Actualizado em Segunda, 09 Julho 2018 09:01
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Sexta, 06 Julho 2018 08:54

O Conselho de Administração da deficitária companhia de bandeira moçambicana foi demitido nesta quinta-feira (05) pelos accionistas após deixarem em terra o primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, que pretendia embarcar para a cidade de Lichinga no corolário de uma semana de voos reprogramados e cancelados devido à falta de dinheiro das LAM para pagar o abastecimento de combustível das suas aeronaves. Em funções há cerca de 2 anos e meio estes gestores, encabeçados por António Pinto, agudizaram a situação de falência técnica que a empresa se encontra desde 2015 com inúmeros actos de má gestão e muita delapidação.

Actualizado em Domingo, 08 Julho 2018 09:03
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quinta, 05 Julho 2018 08:17

Instituto Nacional de PetróleosOs contratos das seis concessões atribuídas por Moçambique para a Pesquisa e Produção de Hidrocarbonetos nas Bacias de Angoche, Zambezi e Pande/Temane e Palmeira, ao abrigo do 5ª Concurso Público que aconteceu há quatro anos continuam sem data de assinatura. “Neste momento há a clarificação de uma ou duas matérias que eventualmente possam levar a aprovação dos contratos por parte do Governo e por parte dos investidores interessados nessas Áreas”, revelou o PCA do Instituto Nacional de Petróleos (INP) ao @Verdade.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 6 de 82