Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 14 Novembro 2018 08:01

Aplicando a sua política de moçambicano pagador o Governo de Filipe Nyusi decidiu aumentar entre 25 a 400 por cento a taxa de portagens para a travessia das principais pontes no nosso país e ainda introduziu a sua cobrança onde era grátis (nas pontes de Lucite, Goba, Licungo, Ligonha, Lúrio e Púngoè Sul). Por ironia do destino o aumento mais alto será para os residentes das imediações da ponte Armando Emílio Guebuza.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Terça, 13 Novembro 2018 08:15

Foto de Adérito CaldeiraO ministro da Economia e Finanças revelou que o Estado moçambicano, mesmo após haver titularizado 8,2 biliões de meticais em reembolsos antigos do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), ainda deve mais de 10 biliões de meticais ao sector produtivo moçambicano. “Na verdade estamos mais preocupados com os 2,2 (biliões de meticais) de 2018 que está em análise e queremos ver qual é o saldo que temos nesta conta dos 16 por cento para ver se é suficiente para pagar” explicou Adriano Maleiane.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Domingo, 11 Novembro 2018 23:42

Foto de Adérito CaldeiraFoi enfim inaugurada a megalómana ponte entre a cidade de Maputo e o distrito municipal de Ka Tembe. Oficialmente o custo é de 785 milhões de dólares norte-americanos no entanto os moçambicanos vão pagar, ao que tudo indica com as receitas do gás natural da Bacia do Rovuma, por esta ponte dos “maputenses” cerca de 1,3 bilião de dólares à China. Só em juros serão mais de 30 milhões de dólares norte-americanos anuais até 2039.

Actualizado em Segunda, 12 Novembro 2018 08:02
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Sexta, 09 Novembro 2018 08:02

Gráfico criado por Sauti / estimativas do Zitamar / montagem gráfica @VerdadeAdriano Maleiane, tal e qual o seu antecessor, está a privilegiar negociar com os credores das dívidas ilegais antes de explicar e obter o consentimento dos moçambicanos sobre as novas Garantias Soberanas que o Governo pretende emitir e vão deixar pelo menos quatro gerações de moçambicanos endividados. “O Parlamento imagine que aprova e depois o credor não concorda” declarou quando confrontado pelo @Verdade. Ademais o ministro da Economia e Finanças que revelou que do perdão de 50 por cento dos juros em atraso Moçambique conseguiu apenas 8,3 por cento, “eles cortaram 15 (milhões de dólares) vamos pagar 900(milhões de dólares norte-americanos).

Actualizado em Sexta, 09 Novembro 2018 08:47
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quinta, 08 Novembro 2018 08:06

Desde 1994 que todas a eleições em Moçambique são antecedidas de revisões ao chamado “pacote eleitoral”, em termos práticos bipolarizadas entre os dois maiores partidos políticos. Para Marc De Tollenaere, do Instituto de Estudos Sociais e Económicos (IESE), que nesta quinta-feira (08) lança a nona edição da série “Desafios para Moçambique”, uma reforma eleitoral que efectivamente aprofunde a democracia no nosso país “provavelmente não surgirá de negociações entre a Frelimo e a Renamo, como nos têm feito crer nos últimos 20 anos”.

Actualizado em Quinta, 08 Novembro 2018 08:25
 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 7 de 92