Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 14 Março 2018 07:42

Foto de Adérito CaldeiraA Inspecção Nacional das Actividades Económicas (INAE) prepara-se para juntar, já em Abril, ao rol de fiscalizações que tem efectuado a verificação do cumprimento da fortificação de alimentos, a rotulagem em língua portuguesa, a regulamentação de bebidas alcoólicas, tabaco, cimento, turismo e também a publicidade enganosa. O director da maior agência de publicidade de Moçambique receia que o código de publicidade, a que denominou de “codigossauro jurássico”, possa ser mal interpretada. Thiago Fonseca revelou “custa-me dizer que a coca-cola não está a fazer publicidade enganosa”.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Terça, 13 Março 2018 08:03

Foto da Presidencia da RepúblicaA Conferência Anual do Sector Privado (CASP) voltou a ser um muro para as lamentações dos empresários da Confederação das Associações Económicas (CTA) cujo presidente até defendeu a isenção da selagem para as cervejas. Em jeito de resposta o ministro da Indústria e Comércio afirmou que “três cervejas cem, não, três blocos de construção cem, sim”, citando um jovem músico. Ragendra de Sousa disse ainda que o Governo espera que a CASP deixe “de ser um órgão de murmúrios mas passe a ser uma instituição mutualista onde os interesses convergem”. O Presidente Filipe Nyusi, que na Conferência de 2016 declarou que a CTA não representa todos empresários de Moçambique, quando foi convidado para dirigir-se a plateia de mais de um milhar de importantes homens de negócios, na sua maioria baseados em Maputo, declarou que não pretendia discursar.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Segunda, 12 Março 2018 07:29

Ávido pela entrada de divisas para financiar a cada vez mais deficitária da conta corrente Moçambique vai continuar a aguardar pela Decisão Final de Investimento (DFI) do projecto de exploração de Gás Natural Liquefação (GNL) liderado pela Anadarko na Área 1 da Bacia do Rovuma, na província de Cabo Delgado, pelo menos até meados de 2019, de acordo o mais recente relatório do Fundo Monetário Internacional. Ademais o FMI alerta que as dívidas ilegais da Proindicus, EMATUM e MAM estão a condicionar os investimentos que a ENH precisa de efectuar no Consórcio Offshore da Área 1.

Actualizado em Segunda, 12 Março 2018 07:54
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Sexta, 09 Março 2018 08:01

Foto de Adérito CaldeiraUma das razões do insucesso do agro-negócio em Moçambique é porque o Estado em vez de subsidiar a maioria do povo que são produtores agrícolas tem optado por subsidiar a minoria que vive nas zonas urbanas. “Na agricultura parece que é proibido falar-se de subsídios, mas não tem nenhum mal falar de subsídio ao combustível, não tem nenhum mal falar do subsídio ao pão” afirma Francisco Ferreira dos Santos, um dos líderes da mais antiga empresa que opera no sector da agricultura no nosso país, que deixa alguns recados ao Governo: “aqueles países que têm sucesso na agricultura fazem subsídios fortíssimos” e “esta desvalorização da moeda veio ajudar, e muito a produção agrária”.

Actualizado em Sexta, 09 Março 2018 08:37
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quinta, 08 Março 2018 07:55

Foto da Presidencia da RepúblicaHá quatro anos que o Combate a Corrupção em Moçambique é feito sem um Plano Estratégico, o último findou em 2014 e a falta de dinheiro ditou que o novo Plano só fosse lançado esta quarta-feira (07). A directora do Gabinete Central de Combate à Corrupção (GCCC) enfatizou a necessidade de dotar a instituição “de recursos humanos, materiais e financeiros suficientes”, quiçá em alusão aos cortes orçamentais que a instituição tem sofrido para o seu funcionamento e investimento. Intervindo na cerimónia o Presidente da República disse que a instituição “deve ser criativa” para trabalhar sem os fundos que precisa.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 8 de 76