Escrito por Adérito Caldeira   
Quinta, 21 Fevereiro 2019 21:04

O reeleito edil da Matola, Calisto Moisés Cossa, hipotecou o agora mais populoso Município de Moçambique ao BCI, pelo menos até 2025, com uma dívida de 1,4 bilião de meticais e que custa anualmente 70 por cento das receitas para a construção da futura sede da Autarquia. “Por que é que não estamos lá? Casa nova, mobília nova” explicou em entrevista exclusiva ao @Verdade o Presidente do Conselho Autárquico.

Actualizado em Sexta, 22 Fevereiro 2019 08:08
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quinta, 21 Fevereiro 2019 07:55

Para além do fim da dispensa na classes de exame o novo Regulamento de Avaliação da Educação em Moçambique altera os tipos de avaliações, muda o cálculo da Nota Final, diferencia o apuramento das Médias no Ensino Secundário e aumenta o número de disciplinas a serem examinadas na 10ª e 12ª classes.

Actualizado em Quinta, 21 Fevereiro 2019 09:15
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 20 Fevereiro 2019 04:23

Apesar dos discursos triunfalistas do fim da crise a Autoridade Tributária de Moçambique (ATM) falhou as metas de cobrança de Impostos em 2018, pelo segundo ano consecutivo. A arrecadação foi de 211 biliões de meticais, 95,1 por cento da meta de 222,8 biliões. A cobrança de impostos também reduziu para 92,1 por cento dos 211,6 biliões previstos e o @Verdade apurou que quase todas participações do Estado deram menos dividendos do que em 2017, até os Mega Projectos contribuíram com menos 62,4 por cento. “Podemos antecipar que o Estado venha a recorrer mais ao endividamento interno”, perspectivou o Professor António Francisco.

Actualizado em Quarta, 20 Fevereiro 2019 10:48
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Terça, 19 Fevereiro 2019 07:48

Foto da LAMO Governo de Filipe Nyusi injectou na falida Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) 1,4 bilião de meticais para ajuda-la a reestruturar as dívidas correntes que o @Verdade revelou ascenderem a 10,7 biliões de meticais. É mais endividamento que eleva o stock da Dívida Pública Interna para 129 biliões de meticais, cerca de 30 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Domingo, 17 Fevereiro 2019 21:12

Foto de Stéphane Geufroi, do jornal Ouest-FranceA detenção preventiva de nove cidadãos que alegadamente beneficiaram de forma indevida das dívidas das empresas Proindicus, EMATUM e MAM sugere que a Procuradoria-Geral da República (PGR) continua a ignorar o principal problema do povo moçambicano neste caso: os empréstimos de 2 biliões de dólares norte-americanos foram contraídos violando a Constituição da República e as leis orçamentais. Nenhum dos detidos é responsável pelas inconstitucionalidades e ilegalidades que obrigam o povo a pagar essas dívidas. As súbitas iniciativas da PGR em fazer justiça são parte da campanha eleitoral do partido Frelimo para as eleições gerais de 2019, que oficialmente iniciou semana passada.

Actualizado em Segunda, 18 Fevereiro 2019 07:41
 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 9 de 100