Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 14 Fevereiro 2018 07:25

O Governo revelou, esta terça-feira (13), que a economia moçambicana afundou-se em recessão, durante o ano passado, depois de o Produto Interno Bruto (PIB) ter contraído para 3,8 porcento, em 2016, no ano passado reduziu para 3,7 porcento, disse Ana Comoana, porta-voz do Conselho de Ministros, que ainda faltou à verdade, afirmando que o défice orçamental reduziu, mas na realidade mais duplicou.

Actualizado em Quinta, 15 Fevereiro 2018 07:53
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Terça, 13 Fevereiro 2018 07:48

Imagem do INPMoçambique poderá perder vários biliões de dólares norte-americanos porque o Instituto Nacional do Petróleo (INP) não tem realizado as necessárias auditorias às contas da Anadarko e ENI para certificar, dentro do período legal, os montantes que estas multinacionais declararam como “custos Recuperáveis”. Dos 7,8 biliões de dólares que ambas empresas investiram no últimos anos no nosso país declararam que 7,6 biliões são recuperáveis. “A certificação de custos é um processo complexo” esclareceu ao @Verdade Carlos Zacarias, o PCA da instituição moçambicana.

Actualizado em Terça, 13 Fevereiro 2018 08:53
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Segunda, 12 Fevereiro 2018 07:26

O Aeroporto Internacional de Nacala, inaugurado em Dezembro de 2014 e que custou mais de 216 milhões de dólares norte-americanos em dívidas que o povo moçambicano vai ter de pagar, registou somente a visita de 771 aeronaves em 2016, em contrapartida o velhinho Aeródromo de Mocímboa da Praia recebeu em igual período quase o dobro de aviões.

Actualizado em Segunda, 12 Fevereiro 2018 08:24
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Sexta, 09 Fevereiro 2018 07:42

Foto de Adérito CaldeiraO povo moçambicano deve mais de 1 bilião de dólares norte-americanos aos credores do empréstimo de 850 milhões de dólares contraído pela Empresa Moçambicana de Atum (EMATUM) violando a Constituição da República de Moçambique e Lei Orçamental de 2013.

 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quinta, 08 Fevereiro 2018 07:20

Foto da Presidencia da RepúblicaA FRENAMO, designação popular da aliança entre os partidos Frelimo e Renamo, revelou através do Presidente Filipe Nyusi um importante avanço para a Paz definitiva em Moçambique: “chegámos à conclusão crucial de que será necessária a Revisão pontual da Constituição da República”. Mas a intenção de acabar com a eleição directa dos presidentes do municípios poderá significar a agonia do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) e um regresso a bipolarização partidária dos primórdios da democracia no nosso país.

Actualizado em Quinta, 08 Fevereiro 2018 15:39
 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 10 de 76