Escrito por Adérito Caldeira   
Sexta, 08 Fevereiro 2019 07:28

Foto de Adérito CaldeiraOs partidos Renamo e MDM perderam nesta quinta-feira (07) uma oportunidade histórica de impor ao partido Frelimo algum controlo e equilíbrio democrático no mais populoso município de Moçambique. Um voto, ao que tudo indica de um membro do Movimento Democrático de Moçambique, garantiu a Calisto Cossa o controlo da presidência, vice-presidência e do secretariado da Assembleia Municipal que é o principal órgão deliberativo na Matola e com competência, dentre várias, de demitir o presidente do Conselho Municipal. “É o Renato que nos traiu”, afirmou ao @Verdade António Muchanga porém o visado reagiu: “a própria Renamo tem de fazer um trabalho de casa e compreender o que terá falhado dentro da sua bancada”.

Actualizado em Sexta, 08 Fevereiro 2019 08:11
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 06 Fevereiro 2019 22:31

Os moçambicanos, ou melhor os maputenes, acordaram da passagem de ano com mais razões para continuarem a txilar indiferentes a pobreza, fome, falta de água e saneamento, educação sem qualidade ou até melhores cuidados de saúde. É que a multinacional holandesa Heineken, graças a isenções fiscais concedidas pelo Governo da Frelimo, colocou no mercado mais uma cerveja barata que em ano de eleições Gerais deverá manter os eleitores “numa boa”.

Actualizado em Quinta, 07 Fevereiro 2019 07:29
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Quarta, 06 Fevereiro 2019 07:33

Após 40 anos de (in)Justiça pós independência Moçambique tem apenas 1 juiz para 78 mil cidadãos, por ano cada magistrado recebe quase mil processos dos quais só consegue julgar cerca de metade e por isso 2019 iniciou com mais de 156 mil processos pendentes nos tribunais. Ainda assim o Tribunal Supremo (TS) revela terem sido julgados e condenados no ano passado 34.671 réus que engrossaram as superlotadas penitenciarias nacionais.

Actualizado em Quarta, 06 Fevereiro 2019 08:20
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Terça, 05 Fevereiro 2019 06:55

Foto da PGRO Bastonário da Ordem dos Advogados de Moçambique (OAM) afirmou que a Justiça em Moçambique caiu “num descrédito total” devido a falta de seriedade que tem vindo a mostrar no processo das dívidas ilegais da Proindicus, EMATUM e MAM. Em jeito de resposta, discursando na abertura de mais um Ano Judicial sem a presença do Mais Alto Magistrado da Nação, a Procuradora-Geral da República (PGR) apelou a união: “De nada valem ataques àquela ou outra instituição ou entidade porque ninguém virá fazer justiça por nós”. O presidente do Tribunal Supremo (TS) apontou o dedo às redes sociais, “Temos analistas que de tudo falam e dizem saber e que, as vezes, conscientemente ou não, desinformam os seus seguidores lançando suspeitas sobre a actividade do sector da Justiça.”

Actualizado em Terça, 05 Fevereiro 2019 08:25
 
Escrito por Adérito Caldeira   
Sexta, 01 Fevereiro 2019 07:02

Foto do partido FrelimoMais de 4 anos após o Tribunal Administrativo ter constatado que “o Governo, sem a devida autorização, emitiu avales e garantias” para os bancos Credit Suisse e VTB, o partido Frelimo ainda tem dúvidas que os empréstimos da Proindicus, EMATUM e da MAM sejam ilegais. “O nosso posicionamento como partido por um lado é de respeito pelo princípio da separação de poderes e por outro lado de apelo as instituições de Justiça para verem se há desvios dentro deste processo ou não” afirmou Roque Silva.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 10 de 100