Escritórios da Presidência agravam dívida externa de Moçambique em USD 488,4 milhões
Destaques - Economia
Escrito por Correio da Manhã  
Terça, 13 Janeiro 2015 12:48
Share/Save/Bookmark

Os novos escritórios da Presidência da República inaugurados em 2014 agravaram a dívida externa moçambicana em cerca de USD 488,4 milhões, para um stock estimado em cerca de USD 5,7 mil milhões, representando um aumento em perto de 21,7%, em relação ao ano anterior.

No aludido período, a China desembolsou o valor correspondente a cerca de 96% do global da dívida externa moçambicana gastos em obras de construção dos novos escritórios da Presidência da República (PR) num reembolso a durar aproximadamente 20 anos, de acordo com fonte do Ministério das Finanças de Moçambique.

Os escritórios estão espalhados por um edifício de três pisos que comportam o Gabinete do Presidente da República, salas do Conselho Consultivo da Presidência da República e salas do Conselho de Ministros e dos grandes actos, para além de um espaço para aterragem e descolagem de helicóptero.

Refira-se, entretanto, que o valor daquela dívida foi contraído para cobertura do défice orçamental, para além de assegurar a implementação dos programas de desenvolvimento socioeconómico do país e corresponde a crédito concessional que, no período em análise, foi no montante global de USD 1.656,5 milhões.

Desembolso externo para áreas económicas

Em 2013, os sectores económicos mais favorecidos em termos de volume de recursos direccionados pela China foram os das estradas e pontes, numa taxa de 31%, apoio orçamental em 15%, Agricultura e Energia com 9% do valor total encaminhado para Moçambique. Ainda em 2013, a China desembolsou a favor de Moçambique cerca de USD 240,9 milhões para o sector da Educação e Formação.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Terça, 13 Janeiro 2015 16:08
 
Avaliação: / 0
FracoBom