19.7 milhões de dólares vão viabilizar emprego juvenil
Destaques - Economia
Escrito por www.fimdesemana.co.mz  
Quinta, 05 Outubro 2017 08:17
Share/Save/Bookmark

Foto de Fim de SemanaA The MasterCard Foundation vai disponibilizar um total de 19.7 milhões de dólares para viabilizar acções conducentes à criação de emprego e de auto-emprego, para jovens desfavorecidos das zonas urbanas e suburbanas de oito províncias, dos quais quatro de Moçambique e igual número da Tanzânia, durante cinco anos.

A iniciativa surge da constatação da actual conjuntura económica que coloca um desafio aos governos dos dois países, no sentido de se criarem condições para a implementação de diversas parcerias que melhorem a empregabilidade e empreendedorismo dos jovens.

Segundo dados colhidos por aquela organização mundial, o desemprego e o subemprego nas zonas urbanas e suburbanas destes países representam um problema crescente e significativo, num momento em que o sector privado formal cria poucos empregos e os formados pelas instituições de formação profissional não aproveitam as poucas oportunidades de emprego oferecidas pelo mercado.

Para agravar o cenário, existe um número crescente de jovens sem qualificações requeridas para acederem ao mercado de emprego, o que tem gerado uma maior pressão ao mercado de trabalho, levando a que jovens recorram ao trabalho no sector informal que actualmente se situa acima de 85 por cento da população economicamente activa em Moçambique e Tanzânia, países onde serão implementados os projectos.

Em face desta realidade, o Ministério do Trabalho, Emprego e Segurança Social (MITESS), na qualidade de entidade governamental, através do Instituto de Formação Profissional e Estudos Laborais Alberto Cassimo (IFPELAC), Instituto Nacional do Emprego (INEP) e do GAPI foram escolhidas, esta semana, para implementar o programa designado Via “Rotas para o Trabalho” que será supervisionado pela Internacional Youth Foundation.

O programa Via, Rota ou Caminho irá fornecer ferramentas ou indicar passos a seguir para que jovens na faixa etária dos 16 a 24 anos de idade, residentes na cidade e província de Maputo, Inhambane e Tete acedam ao emprego e auto-emprego.

Para a operacionalização desta iniciativa, a Via irá proporcionar a 30 mil jovens economicamente desfavorecidos das áreas urbanas de Moçambique e Tanzânia de um conjunto de formações e serviços de apoio, de modo a permitir aos jovens aceder a melhores oportunidades de emprego assalariado ou auto-emprego.

Segundo o director geral do IFPELAC, Anastácio Chembeze, os jovens serão dotados de ferramentas relevantes para que as suas habilidades respondam às necessidades do empregador. “Os jovens que participarem no programa de empregabilidade do Via receberão um conjunto de serviços que incluem formação técnica e em habilidades para a vida, ministrada pela IFPELAC, orientação profissional e apoio para colocação no emprego sob responsabilidade do INEP” disse Chembeze.

Acrescentou que os jovens que estiverem no programa de empreendedorismo receberão um pacote similar ao acima indicado, formação em habilidades para a vida e em empreendedorismo, para aceder ao financiamento para o auto-emprego que estará a cargo do GAPI em representação do sector privado.

Chembeze explicou que o programa está assente em quatro pilares: reforço da capacidade institucional, empregabilidade, empreendedorismo e monitoria e avaliação e que o encontro serviu para ajustar os termos de referência para se estabelecer o comité da via do qual farão parte o Governo, empregadores, sindicatos, associações juvenis e instituições académicas.

O director da Youth, Ilídio Caifaz, não revelou o montante que será disponibilizado para Moçambique, mas garantiu que serão realizadas todas acções que visem dotar aos jovens desfavorecidos de ferramentas para o mercado de trabalho e para o auto-emprego nas quatro províncias do país.

O projecto terá um foco para a empregabilidade, sob auspícios do Governo, para análise do mercado de trabalho, formação técnica, habilidades para a vida e orientação profissional, empreendedorismo, análise do sistema de mercado, inclusão financeira e apoio à criação de empresas, GAPI e por fim a gestão operacional e a monitoria e avaliação, a cargo da Youth.

Governo, empregadores, sindicatos, associações juvenis e instituições de formação constituíram um comité de aconselhamento de um programa designado Via, Rotas para o Trabalho, no âmbito de um programa da Internacional Youth Foundation em parceria com o IFPELAC, INEP e GAPI e financiado pela The MasterCard Foundation.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom