Serviços de meteorologia necessitam de investimentos na ordem de 70 milhões USD
Destaques - Economia
Escrito por www.fimdesemana.co.mz  
Quarta, 28 Março 2018 07:17
Share/Save/Bookmark

Foto de Fim de SemanaO Governo Moçambicano precisa de investir, a curto prazo, cerca de 20 milhões de dólares norte-americanos para equipar, devidamente, todo o sistema do Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) e substituir os equipamentos, que ainda funcionam com mercúrio, no âmbito da padronização internacional.

Esta informação foi dada a conhecer, na segunda-feira, 26 de Março, em Maputo, pelo ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, momentos após um encontro de trabalho com as direcções do INAM e do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

O governante referiu ainda serem necessários mais 50 milhões de dólares para um investimento a longo prazo, na revitalização e extensão das redes e estações meteorológicas ao longo do território nacional e na criação de três centros regionais, que permitam a obtenção de informações mais fiáveis e mais próximas das populações.

Carlos Mesquita explicou que o encontro de trabalho com o INGC se deve ao facto de os trabalhos executados pelo INAM terem muita complementaridade com os dados e informações prévias que o INGC precisa para planificar as suas actividades.

“Na óptica da contenção de custos, na utilização dos escassos recursos financeiros disponíveis, achamos que os resultados deste encontro coadunam-se com aquilo que queremos evitar, nomeadamente a duplicação de aquisição de equipamentos, quando alguns deles já existem no País, particularmente no INAM”, frisou o ministro.

Ainda sobre a reunião, seguida de uma visita às instalações do INAM, Carlos Mesquita contou terem sido constatados alguns elementos de grande importância relacionados com a rede das estações meteorológicas do País, a capacidade tecnológica e profissional dosros e também o sistema de análise e previsão do tempo, que são dados necessários para a agricultura, saúde, turismo, aviação, marinha, entre outros.

“Este é o coração de todos esses sectores a partir de uma série de equipamentos como satélites e radares e também o cruzamento que é feito com outras instituições como o centro regional que está em Pretória, na África do Sul, onde é validada a informação que temos”, disse.

Importa realçar que com base na parceria entre o INAM e o INGC serão desenvolvidos projectos específicos na área da meteorologia, a serem submetidos aos parceiros internacionais para debate e financiamento.

“Mas também devemos contar com os nossos recursos, pois há uma série de serviços que o INAM presta e que nós achamos que podem produzir receitas para a instituição”, concluiu o governante.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom