Brazão Mazula: 'No ambiente universitário, o estudante deve empenhar-se para ser competente e culto'
Destaques - Economia
Escrito por www.fimdesemana.co.mz  
Quinta, 29 Março 2018 07:19
Share/Save/Bookmark

Foto de Fim de SemanaO académico Brazão Mazula defende que “a universidade é uma instituição que associa a ciência e a cultura assumindo, por isso, uma dimensão ética. É, ainda, um local privilegiado que deve sempre primar pela qualidade do ensino”.

Estes pronunciamentos foram feitos na quarta-feira, 28 de Março, na oração de sapiência subordinada ao tema “Ética Universitária e Qualidade”, na Escola Superior de Gestão, Ciências e Tecnologias – ESGCT, uma unidade orgânica da Universidade Politécnica.

Conforme defendeu o orador, vários pensadores não disassociam a universidade da cultura e da transmissão de valores. “Realçam sempre o saber ser e o saber estar na universidade e na sociedade, que é portanto a dimensão ética”.

Aclarando, Brazão Mazula referiu que, no ambiente universitário, o estudante deve empenhar-se para ser competente e culto, enquanto o docente deve primar pela qualidade do ensino e pelo brio profissional.

“Ficar só na competência e descurar a cultura significa formar robôs, autênticas máquinas artificialmente programadas que irão actuar sob o comando de um controlo remoto”, considerou, acrescentando que a não consideração do lado ético da formação é, para todos os efeitos, desvirtuar a missão real da universidade e amputar as expectativas da sociedade.

Adiante, Brazão Mazula falou dos três pilares da ética universitária, que emergem do conceito de universidade e da sua missão, que são a mente, o coração e a vida. Considerou, neste contexto, que a vida de um docente e de um estudante “realiza-se no ambiente da universidade, numa relação recursiva na qual os docentes e os estudantes fazem a universidade, esta que, por sua vez, os molda”.

“A vida universitária é ciência, cultura e ética ao mesmo tempo, que o estudante vai adquirindo e estruturando a sua mente com racionalidade e emoção, sendo que o docente vai, eticamente, ensinando os estudantes a fazer ciência, deixando-se impregnar pela ética e deontologia profissionais”, concluiu Brazão Mazula.

Explicando, por sua vez, sobre o contexto da oração de sapiência proferida por Brazão Mazula, a directora da ESGCT, Sandra Brito, explicou que o tema da mesma, “Ética Universitária e Qualidade”, vai de encontro com o lema definido para este ano, por esta unidade orgânica da Universidade Politécnica.

“Somos uma instituição de ensino que advoga uma educação integral, a qual radica não apenas na transmissão de competências, mas também de valores”, explicou, considerando, por conseguinte, de suma importância a salvaguarda da ética e do cuidado na convivência com o outro.

“Com efeito, a ética é a pedra angular que alicerça o relacionamento das pessoas seja em casa, no trabalho, nos espaços de entretenimento e na universidade. Ou seja, em qualquer cenário onde existam as relações humanas”, sustentou Sandra Brito.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom