Mulheres instadas a inverter índice de abstenções eleitorais
Destaques - Economia
Escrito por www.fimdesemana.co.mz  
Segunda, 09 Abril 2018 07:18
Share/Save/Bookmark

Foto de Fim de SemanaMulheres funcionárias da Administração do Trabalho são instadas a inverter o índice de abstenções, que se regista nos pleitos eleitorais no País. Como primeira medida que irá conduzir a esse feito, são convidadas a proceder ao recenseamento eleitoral como mecanismo que as habilitará a votar e, consequentemente, inverter os actuais indicadores que apontam para uma fraca participação da mulher nos processos eleitorais.

A título elucidativo, a cidade de Maputo possui sete distritos municipais e de acordo com os dados fornecidos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) têm um universo de 796.965 eleitores, dos quais 423.676 são mulheres.

No entanto, os registos do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) apontam para um número reduzido de mulheres recenseadas, comparativamente aos homens.

Para reverter este quadro, as funcionárias da Administração do Trabalho foram instadas, pela titular do pelouro, Vitória Diogo, a se recensearem, de modo a estarem habilitadas a votar no próximo dia 10 de Outubro, nas eleições municipais.

A Ministra Vitória Diogo fez este apelo, na última sexta-feira, durante a realização de uma palestra sobre a "Importância do Recenseamento Eleitoral para a Mulher" realizada no quadro das celebrações do 7 de Abril, dia da Mulher Moçambicana.

Segundo a ministra, não faz sentido que a mulher se apresente em menor número nas assembleias de voto, quando são a maior parte da população do país.

"É preciso que nós, as mulheres deste País, decidamos assumir as rédeas neste processo e fazermos ouvir, através do voto, a nossa vontade sobre quem deve comandar os destinos deste País", desafiou a ministra, tendo em seguida apelada para que cada uma das funcionárias do ministério se dirija a um posto de recenseamento próximo da respectiva residência e formalize o seu direito de poder escolher de forma consciente e madura o seu dirigente municipal.

Para a governante, só dessa forma a mulher estará a exercer o seu papel de influenciar, positivamente, a vida da outra e contribuindo para a edificação da vida da mulher como um todo. A palestra foi proferida por Janete Manjate e Amélia Gulele, dirigentes ao nível da cidade de Maputo, do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) na presença da Ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, Vitória Dias Diogo, membros do Consultivo da Ministra e funcionárias da Administração do Trabalho.

Entretanto, as cerimonias centrais do Dia da Mulher Moçambicana que se comemoram sob o lema: “Activismo transformando a vida da Mulher ao lado do homem”, tem lugar na cidade de Mocuba, província da Zambézia e serão dirigidas pelo Presidente da República, Filipe Nyusi.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom