Para estudantes pré-universitários: Incubadora de Negócios organiza orientação vocacional
Destaques - Economia
Escrito por www.fimdesemana.co.mz  
Sexta, 04 Maio 2018 07:16
Share/Save/Bookmark

Foto de Fim de SemanaO Standard Bank, através da sua Incubadora de Negócios e a Munay, uma associação juvenil que se dedica ao fomento do empreendedorismo juvenil, organizaram, recentemente, uma sessão de orientação vocacional, para estudantes pré-universitários de diversas escolas públicas e privadas da cidade de Maputo.

Os mentores da iniciativa pretendem que a mesma sirva de guia para a escolha académica e profissional dos jovens, razão pela qual, durante a sessão, os participantes estiveram envolvidos em actividades ligadas à exploração do potencial individual, à análise da realidade através de informações sobre a oferta académica, à liderança pessoal, entre outras.

Aos participantes foram, igualmente, transmitidas lições sobre a importância da poupança, bem como as particularidades e dinâmicas do mercado de trabalho, que está cada vez mais exigente, o que demanda dos candidatos habilidades e competências para se distinguirem dos demais.

De acordo com Geralda Antique, directora da Munay, o objectivo da sessão era de transmitir aos participantes elementos que lhes permitam fazer escolhas académicas acertadas no futuro.

“O que se nota é que os jovens se deixam influenciar na hora de escolher o curso porque, pelo menos ao nível das escolas públicas, ainda não temos a orientação vocacional”, asseverou Geralda Antique.

“Uma escolha errada tem implicações na vida profissional. Muitos descobrem que não gostam da área que seguiram já no mercado de trabalho. Sentem-se frustrados porque estão a fazer algo de que não gostam”, acrescentou a directora da Munay.

Já Neusa Nhatsave, do Standard Bank, explicou que o apoio a esta iniciativa surge da necessidade de desafiar os jovens a seguirem as áreas em que possuem vocação ou habilidades.

“Seguir uma área em que temos vocação abre-nos várias possibilidades de singrar no mercado de trabalho, sendo o empreendedorismo uma delas. Os jovens devem formar-se a pensar nisso”, disse Neusa Nhatsave. Lídia Lopes é estudante da 11ª classe, na Escola Secundária Josina Machel, e disse ter gostado da iniciativa, que, na sua opinião, devia ser alargada a mais escolas do País para poder alcançar mais jovens.

“É uma iniciativa muito boa e educativa. Eu, por exemplo, consolidei a minha ideia sobre o curso que pretendo seguir depois de concluir o ensino secundário. Estava indecisa entre Gestão e Jornalismo, mas com a ajuda dos palestrantes pude fazer uma escolha”, referiu Lídia Lopes.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom