Correios de Moçambique pode ser engolida pela concorrência
Destaques - Economia
Escrito por www.fimdesemana.co.mz  
Segunda, 28 Maio 2018 07:33
Share/Save/Bookmark

Foto de Fim de SemanaO secretário permanente do Ministério dos Transportes e Comunicações, Pedro Inglês, desafiou, na sexta-feira, 25 de Maio, à empresa Correios de Moçambique a reestruturar-se e modernizar os seus serviços, com vista a responder à actual dinâmica do mercado e às exigências dos clientes e da população.

Este apelo resulta do facto de o sector dos correios ter sido afectado pelo advento e avanço das tecnologias de informação e comunicação (TIC), com destaque para o uso da internet e do correio electrónico (e-mail), em substituição da carta, que deixou de ser o meio de comunicação entre as pessoas.

Nesse sentido, de acordo com Pedro Inglês, “os Correios de Moçambique devem aproveitar as tecnologias de informação e comunicação para automatizarem os seus serviços e tornar cada vez mais fácil e rápido o acesso à informação, como é o caso das facilidades que o comércio electrónico oferece para o desenvolvimento de negócios”.

Para o secretário permanente, que falava na cerimónia de abertura da VI Reunião Geral Anual da Direcção dos Correios de Moçambique, em substituição do ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, ao assim proceder a empresa estará a cumprir a missão incumbida pelo Governo, para a provisão de serviços postais básicos aos cidadãos e para o desenvolvimento socioeconómico do País.

Em relação ao encontro, que junta quadros das direcções central e provincial, chefes de gabinete, coordenadores de projectos, entre outros, Pedro Inglês espera que o mesmo inspire os participantes a contribuírem para a diversificação de serviços e busca de sustentabilidade financeira da empresa. “O actual cenário económico impõe que as empresas encontrem soluções inovadoras que contribuam para a sua sustentabilidade.

As empresas devem modernizar-se para continuarem a operar no mercado, senão serão liminarmente engolidas pela concorrência”, considerou Pedro Inglês, para quem a empresa Correios de Moçambique deve reposicionar-se, com vista ao cumprimento do seu papel no quadro da implementação do Plano Quinquenal do Governo. Para além da modernização, a empresa deve pautar por uma cultura de transparência e de prestação de contas, elementos essenciais para o alcance da estabilidade financeira e desenvolvimento harmoniosos.

“A empresa deve continuar a fortalecer a sua credibilidade no mercado, perante parceiros e utilizadores dos serviços prestados para que seja, de facto, uma instituição de referência nacional na provisão de serviços postais básicos”.

Por seu turno, o presidente do Conselho de Administração dos Correios de Moçambique, Valdemar Jessen, afirmou que, durante o encontro, serão delineadas estratégias que permitirão a mudança da actual fase que a empresa atravessa.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom