OIT evidencia falácia dos mais de 600 mil empregos criados pelo Governo de Nyusi
Destaques - Economia
Escrito por Adérito Caldeira  
Quarta, 19 Setembro 2018 07:52
Share/Save/Bookmark

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) revelou que só pouco mais de 700 mil moçambicanos desconta para o Instituto de Nacional de Segurança Social (INSS) deixando evidente que os 621.485 novos postos de emprego que o Governo afirma ter criado desde 2015 não são dignos ou nem não existem.

Falando num seminário sobre trabalho e os desafios da protecção social para trabalhadores da economia informal a representante da OIT, Denise Monteiro, revelou que “Apesar da obrigatoriedade do Regime Contributivo, Moçambique continua a viver uma realidade em que mais de 90 por cento da população economicamente activa não se encontra inscrita no Instituto Nacional da Segurança Social”.

De acordo com Denise Monteiro somente 6 por cento dos cerca de 12 milhões de moçambicanos em idade activa é que estão inscritos no sistema de segurança social obrigatória, sendo que 332 mil são os funcionários e agentes do Estado registados há vários anos.

O @Verdade entende que este número de inscritos no INSS demonstra que os 621.485 novos emprego que o Executivo de Filipe Nyusi clama ter criado desde 2015 até ao 1º trimestre de 2017 serão postos de trabalho precários ou nem sequer existem.

A julgar pelos cada vez mais “empreendedores” nas ruas dos principais centros urbanos de Moçambique e aos elevados índices de criminalidade dos jovens é muito provável que os novos empregos dignos criados sejam uma ínfima parte dos milhares anunciados pelo Governo.

Aliás nenhuma instituição independente reconhece estes números de novos empregos criados pelo Executivo, nem mesmo o sector privado que é suposto ser o empregador.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Segunda, 24 Setembro 2018 07:46
 
Avaliação: / 2
FracoBom