Projectos de exploração do Gás Natural Liquefeito: Instituto Nacional de Petróleo prevê a contratação de cinco mil profissionais moçambicanos
Destaques - Economia
Escrito por www.fimdesemana.co.mz  
Quarta, 10 Julho 2019 07:16
Share/Save/Bookmark

O Instituto Nacional de Emprego (INEP), uma instituição tutelada pelo Ministério do Trabalho, Emprego e Segurança Social (MITESS), licenciou, durante o presente quinquénio, 51 agências privadas de emprego, que propiciou o recrutamento de mais de 62 mil cidadãos, no País.

É neste quadro que o Instituto Nacional de Petróleo (INP) prevê a contratação de cinco mil profissionais nacionais e 12 mil estrangeiros, num universo de 45 mil vagas por preencher, durante os próximos 30 anos, para os projectos de exploração do Gás Natural Liquefeito (GNL) da Anadarko, na Bacia do Rovuma.

Estes dados foram revelados, na segunda-feira, 8 de Julho, em Maputo, por Oswaldo Petersburgo, vice-ministro do Trabalho, Emprego e Segurança Social, após o relançamento do Portal de Emprego, durante o 2º Conselho Consultivo do Instituto Nacional de Emprego.

“Temos o desafio de massificar, junto às empresas, o serviço de intermediação laboral entre a procura e a oferta digital. Pretendemos que jovens com perfis profissionais estejam cadastrados no portal”, disse Oswaldo Petersburgo.

Por seu turno, Natália Camba, directora nacional do Conteúdo Local, no Instituto Nacional de Petróleo, disse que a contratação para os projectos de GNL na Bacia do Rovuma, devido à sua especificidade, requer mão-de-obra qualificada, prevendo-se cinco mil postos de trabalho para os moçambicanos, na fase de construção e operacionalização da plataforma. Esta oferta poderá reduzir-se até 1.200, durante a fase sustentável. No que se refere à mão-de-obra estrangeira, segundo a directora nacional do Conteúdo Local do INP, na fase de construção, estarão disponíveis 10 mil postos de trabalho, para as componentes da fábrica e infra-estruturas. A partir do quinto ano, na fase da entrega da plataforma, o projecto vai sofrer uma alteração na contratação.

“O INP vê necessária a contratação da mão-de-obra estrangeira, cujo processo de sucessão e substituição poderá resultar em mil postos de trabalhos atinentes a favor de moçambicanos”, afirmou a directora.

Importa referir que nos centros de formação do INEP já foram preparados cerca de 25.000 jovens beneficiários de estágios pré-profissionais, recrutados através do Portal de Emprego, dos quais 1.500 jovens foram absolvidos pelas empresas, no presente quinquénio.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom