Vaticano processa sacerdote por posse de pornografia infantil
Destaques - Internacional
Escrito por Agências  
Segunda, 11 Junho 2018 08:42
Share/Save/Bookmark

O Tribunal do Vaticano comunicou no passado sábado que processa o monsenhor Carlo Alberto Capella, ex-conselheiro da nunciatura em Washington, acusado pelo Canadá de possuir imagens de pornografia infantil.

A fase de instrução terminou no dia 30 de Maio e a promotoria pediu o envio ao juízo do acusado, que desde 7 de Abril estava detido na sede da Gendarmaria vaticana.

O juiz considerou que a jurisdição do caso é da autoridade judiciária vaticana já que o suposto crime foi cometido por um oficial deste Estado, embora se refira a fatos no exterior. A primeira audiência deste processo começará no dia 22 de Junho.

O crime do qual Capella está sendo acusado é de posse de pornografia infantil, que segundo as leis vaticanas é punido com "um a cinco anos de prisão" e a uma multa de 2.500 a 50.000 euros. A pena pode ser superior se o material for "de quantidade ingente".

O departamento de imprensa do Vaticano informou que em 21 de Agosto do ano passado chegou a notificação pelo Departamento de Estado dos EUA do suposto crime e o sacerdote foi chamado ao Vaticano, onde se encontra actualmente.

Após receber a notificação pela posse desse material, a secretaria de Estado vaticana a transmitiu à promotoria, que abriu uma investigação e pediu colaboração internacional para coletar provas.

Em Setembro de 2017, a Justiça vaticana abriu uma investigação contra o funcionário após a polícia canadense o acusar de posse e distribuição de material pornográfico infantil, baixado durante uma viagem que o sacerdote realizou ao país em Dezembro de 2016.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom