Em Maputo: AIESEC promoveu seminário de líderes do Sul de África
Destaques - Internacional
Escrito por www.fimdesemana.co.mz  
Terça, 09 Outubro 2018 07:13
Share/Save/Bookmark

Foto de Fim de SemanaOs jovens devem trazer soluções para o desenvolvimento do País, usando os incentivos injectados nas associações dos diversos extractos da sociedade, com contribuições e maior aproveitamento, produzindo soluções para uma maior produtividade juvenil, apoiando a rapariga e trazendo os jovens do sector informal para o formal.

Estas considerações foram feitas por Ana Flávia Azinheira, vice-ministra da Juventude e Desportos, que falava à margem da abertura oficial do seminário de líderes do Sul da África (Southern Africa Summit), que decorreu na cidade de Maputo, entre os dias 3 e 7 de Outubro.

De uma forma geral, conforme referiu a governante, espera-se que os líderes reunidos tragam bases para que os jovens sejam vistos como maiores transformadores da nossa economia e devem ainda estar preparados para a quarta revolução industrial que o continente africano vai sofrer.

A vice-ministra explicou ainda que o nosso País está alinhado com as políticas da região e das Nações Unidas (ONU): “Temos as metas dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, das várias plataformas que concorrem para a redução da pobreza e para o empoderamento da juventude como a maior luta do Governo”.

A presidente da Associação Internacional de Estudantes em Ciências Económicas e Empresariais, Deasy Muzima, disse que o encontro não se restringe somente aos membros desta agremiação, mas a todos os extractos sociais interessados em reverter o actual cenário económico do País, através de políticas e acções para o empoderamento da mulher e, ainda, buscar mecanismos para impactar esse meio geográfico e contribuir para a agenda 2030.

Em relação aos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), que foi um dos principais pontos deste encontro, Deasy apontou a qualidade de educação, por ser uma forma poderosa para a mudança da situação no País. “Faz todo sentido, porque no final do dia é preciso definir acções para o estágio profissional internacional, enviando cérebros para uma formação prática que criem um efeito multiplicador com uma acção pequena de intercâmbio multicultural que muda o cenário do capital humano local”, sustentou.

O representante das Nações Unidas, residente em Moçambique, Helvisney Cardoso, disse que para o País é uma mais-valia acolher este encontro, para discutir os ODS, podendo cada um dos líderes presentes veicular os cinco (05) Ps, nomeadamente a paz, parceiros, prosperidade, planeta e plenitude.

Os líderes do sul de África têm a missão de transformar os ODS em prática, criando iniciativas para o autoemprego, o empoderamento da mulher e tirar os jovens do sector informal para o formal. Importa referir que este é o terceiro encontro dos líderes do sul de África e o primeiro a ter lugar em Moçambique.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom