Preparem-se para tempos difíceis, adverte presidente chinês no meio da guerra comercial com os EUA
Destaques - Internacional
Escrito por Agências  
Quinta, 23 Maio 2019 07:32
Share/Save/Bookmark

A China tem que se preparar para tempos difíceis já que a situação internacional é cada vez mais complexa, disse o presidente chinês, Xi Jinping, em comentários divulgados pela mídia estatal nesta quarta-feira, no momento em que o país enfrenta aumentos de tarifas numa guerra comercial com os Estados Unidos da América (EUA). O país asiático é a segunda principal fonte de importações para Moçambique.

Os dois países estão elevando as tarifas comerciais sobre os produtos um do outro, depois que as negociações para resolver a disputa foram interrompidas.

A disputa intensificou-se desde a semana passada com Washington colocando a empresa chinesa de equipamentos de telecomunicações Huawei Technologies [HWT.UL] numa lista negra de comércio, um golpe potencialmente devastador para a empresa que agitou as cadeias de fornecimento de tecnologia e investidores.

Durante uma viagem de três dias nesta semana para a província de Jiangxi, um dos berços da revolução comunista da China, Xi pediu às pessoas que aprendam as lições das dificuldades do passado.

“Hoje...precisamos superar vários grandes riscos e desafios nacionais e estrangeiros e conquistar novas vitórias para o socialismo com características chinesas”, afirmou Xi segundo a agência estatal de notícias Xinhua.

“O nosso país ainda está em um período de importantes oportunidades estratégicas para o desenvolvimento, mas a situação internacional é cada vez mais complicada”, acrescentou. “Devemos estar conscientes da natureza complexa e de longo prazo de vários fatores desfavoráveis em casa e no exterior, e nos preparar adequadamente para várias situações difíceis.”

A publicação não detalhou essas dificuldades, nem mencionou directamente a guerra comercial ou os Estados Unidos.

Xi também falou sobre a importância da tecnologia e “enfatizou que a inovação tecnológica é a força vital das empresas”.

“Somente tendo propriedade intelectual e tecnologia de base é possível produzir produtos que possuam competitividade central, e só então uma posição invencível pode ser alcançada em meio à competição acirrada.”

A China precisa de dominar mais tecnologias essenciais e aproveitar o “terreno elevado” no desenvolvimento industrial, acrescentou.

O país asiático tornou-se, em 2018, a segunda principal fonte de importações para Moçambique, atrás da África do Sul.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Quinta, 23 Maio 2019 07:41
 
Avaliação: / 1
FracoBom