Outra vez a PRM, um adolescente morto a tiro e jovem ferido em Dondo
Destaques - Nacional
Escrito por Redação  
Terça, 25 Julho 2017 08:24
Share/Save/Bookmark

Um adolescente de 14 anos de idade morreu e um outro jovem de 23 anos ficou ferido no membro superior esquerdo, em consequência de um disparo supostamente efectuado pelos agentes da Polícia da República de Moçambique (PRM), na manhã desta segunda-feira (24), no distrito de Dondo, província de Sofala.

O facto ocorreu num mercado, algures no bairro de Mafarinha, quando um grupo operadores de táxi com recurso a triciclos, vulgo de “txopela”, e populares pretendiam linchar dois presumíveis ladrões.

Na circunstância, uma equipa da instituição que tem como função garantir a segurança e a ordem públicas e combater infracções à lei foi despachada para o local, com vista a conter os ânimos.

Contudo, no lugar de dispersar a multidão enfurecida disparando para o ar ou na pior das alternativas usando balas de borracha, os policiais recorreram a projécteis reais, tendo atingido as vítimas em questão.

O malogrado estava no mercado para comprar mandioca para o pequeno-almoço, a mando do pai. O tiro atingiu-lhe já com os tubérculos na mão e prestes a regressar à casa.

Apercebendo-se de que os agentes da Lei e Ordem estavam com as armas de fogo em punho, aos tiros e a multidão a correr em debandada, o miúdo ainda tentou “arrastar-se” para um local onde não seria alvo de mais tiros, mas caiu inanimado sem ter percorrido grande distância.

Nem com esta situação a Polícia cessou os disparos, tendo feito uma segunda vítima, a qual contraiu ferimentos no braço esquerdo. Até ao fecho desta edição, o jovem encontra-se sob cuidados médicos num unidade sanitária local.

A corporação em Sofala não se pronunciou sobre esta ocorrência mas prometeu fazê-lo oportunamente. E este não era o primeiro episódio de assassinato cometido por elementos da PRM, em Sofala.

A 11 de Janeiro deste ano, uma criança de 10 anos de idade morreu vítima de bala disparada por um membro da corporação, durante uma operação que supostamente visava recuperar bens roubados, no bairro da Munhava, na cidade da Beira.

Na altura, o autor do tiro, afecto à 11ª esquadra e cuja identidade não foi revelada, colocou-se em fuga deixando a criança e a família da mesma à sua própria sorte.

A 23 de Setembro de 2016, um agente com a categoria de 2º cabo, afecto à 3ª esquadra, tirou a vida de uma criança de apenas três anos de idade, identificada pelo nome de Chocolate Armando, no bairro de Matacuane.

Em vez de prestar assistência à vítima, o policial fugiu mas em pouco tempo foi preso.

Para além disso, em Fevereiro de 2016, um outro policial disparou mortalmente contra um taxista de moto-táxi, vulgo txopela, defronte das barracas sitas naquela zona.

O malogrado foi morto por se julgar que tinha gravado imagens de dois agentes da Polícia embriagados, discutindo na barraca devido uma desavença no pagamento do álcool que ambos tinham consumido, fardados e armados.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom