Água ignora decisão política e continua com restrições em Maputo, Matola e Boane
Destaques - Nacional
Escrito por Adérito Caldeira  
Quinta, 26 Abril 2018 07:29
Share/Save/Bookmark

ArquivoO Conselho de Ministros decidiu esta terça-feira (24) aliviar as restrições na distribuição de água potável nas cidades de Maputo, Matola e Boane decretando o “fornecimento de água todos os dias, pelo menos 8 horas por dia” já nesta quarta-feira (25)... porém a água não obedeceu ao Governo incompetente em finalizar as obras da barragem de Corumana e mobilizar 220 milhões de dólares para reiniciar a construção da barragem de Moamba Major.

A porta-voz do Conselho de Ministro revelou que no seguimento da 13ª sessão ordinária, que decorreu em Maputo, o Governo registou: “uma evolução positiva, particularmente em decorrência das medidas de restrição decretadas pelo Governo e também do cumprimento do plano de gestão racional e também em parte de alguma chuva que caiu na última época chuvosa, apesar disso a água armazenada ainda não é suficiente para o levantamento total das restrições”.

“Neste momento o nível de armazenamento situa-se a 29,74 por cento, continua a requerer uma gestão racional e criteriosa. De todo o modo em face dos resultados alcançados com as medidas decretadas pelo Governo serão aliviadas as restrições decretadas, será uma redução parcial dessas medidas, sobretudo no que concerne ao fornecimento de água para o consumo para as cidades de Maputo, Matola e Boane, passando os níveis de satisfação dos actuais 60 por cento para 80 por cento e permitindo assim o fornecimento de água todos os dias, pelo menos 8 horas por dia”, aclarou Ana Comoana.

Falando com jornalistas a porta-voz do Conselho de Ministro afirmou que o alívio das restrições deveria acontecer ainda nesta quarta-feira (25). “Já amanhã, o levantamento das restrições e essa condição de fornecimento diário da água já amanhã”.

Todavia nesta quarta-feira a empresa Águas das Região de Maputo continuou a fornecer o precioso líquido com as restrições que estão em vigor desde meados de Fevereiro.

O @Verdade apurou que em termos práticos as descargas da barragem dos Pequenos Libombos já aumentaram de 1,5 metros cúbicos para 2,15 metros cúbicos no entanto só na sexta-feira (27) é que essa disponibilidade de água será captada na Estação de Tratamento do Umbeluzi.

Recordar que Maputo, Matola e Boane enfrentam falta de água potável desde 2017 devido a seca hídrica que se regista na Região Sul do nosso continente mas principalmente devido a incompetência dos sucessivos governo do partido Frelimo que há cerca de uma década sabem que é imperativo o aumento das fontes de água para o abastecimento da capital moçambicana.

Enquanto decorrem atrasadas obras de aumento da capacidade da barragem de Corumana, condutas de transporte e Estação de Tratamento o Executivo tem sido incapaz de mobilizar os 220 milhões de dólares norte-americanos para o reinício da construção da barragem de Moamba Major, que tem financiamento do Brasil suspenso devido a falta da comparticipação de Moçambique.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 1
FracoBom