Retrospectiva Março: Jornalista sequestrado e violentado em plena luz do dia em Maputo
Destaques - Nacional
Escrito por Redação  
Quinta, 27 Dezembro 2018 18:30
Share/Save/Bookmark

O jornalista, jurista e comentador Ericino de Salema foi sequestrado no início da tarde ddo dia 27 de Março defronte do Sindicato Nacional de Jornalistas (SNJ) por desconhecidos que o amarraram e violentaram antes de o abandonarem nos arredores do distrito de Marracuene, na cidade de Maputo. Foi o 12º atentado com motivações aparentemente políticas em Moçambique, que tiveram início em Março de 2015 com o assassinato, até hoje não esclarecido, do constitucionalista Gilles Cistac.

Salema tinha acabado almoçar num restaurante que funciona nas instalações do SNJ, na avenida 24 de Julho esquina com à avenida Orlando Magumbwe, próximo aos Ministérios da Educação e do Turismo, quando foi abordado, cerca das 13h30, por dois indivíduos que o encurralaram no momento em que abriu a bagageira da viatura que o iria transportar, e era conduzida por um motorista, e anunciaram o sequestro.

Testemunhas contaram ao @Verdade que o jovem jornalista foi obrigado por dois cidadãos não identificados a entrar numa viatura ligeira de marca Toyota com vidros fumados e sem chapa de matrícula, que tinha chegado às imediações do local várias horas mais cedo, e deixou o local em direcção a avenida Orlando Magumbwe.

Cerca de uma hora após o motorista denunciar o crime as autoridades policiais e ser ouvido na esquadra situada na Julius Nyerere a esposa do jornalista, que entretanto acorrera ao local, foi informada telefonicamente que Ericino de Salema havia sido abandonado num sector da estrada Circular de Maputo, próximo do distrito de Marracuene.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom