África do Sul vai devolver Manuel Chang a Moçambique
Destaques - Nacional
Escrito por Adérito Caldeira  
Quinta, 21 Fevereiro 2019 07:42
Share/Save/Bookmark

Foto de Pelane PhakgadiA África do Sul não deverá extraditar Manuel Chang para os Estados Unidos da América (EUA). “Assim que fecharmos o caso da Interpol vamos permitir que Moçambique tenha de volta o seu ex-ministro" revelou a ministra sul-africana da Cooperação e Relações Internacionais, Lindiwe Sisulu.

“Nós estamos a envia-lo para Moçambique para ser julgado (...) e acreditamos que está é a forma mais simples para todos”, explicou a governante ao jornal sul-africano Daily Maverick acrescentando que nesta altura o Departamento de Justiça estava a verificar se haveria um confronto entre os EUA e Moçambique, sobre seus pedidos de extradição.

Lindiwe Sisulu confirmou que “recebemos um pedido de Moçambique e acedemos a ele” tendo sugerido que os EUA talvez pudessem seguir o seu caso depois de Moçambique, e talvez até em Moçambique.

Chang, que assinou as Garantias bancárias ilegais que possibilitaram os empréstimos da Proindicus, MAM e EMATUM, foi detido pela Polícia Internacional (Interpol) a 29 de Dezembro no Aeroporto Internacional OR Tambo, onde estava em trânsito de Maputo para o Dubai, ao abrigo de um mandado de captura internacional emitido pela Justiça norte-americana.

O United States District Court for Eastern District of New York não pretende julgar o ex-ministro das Finanças pelas violações da Constituição da República de Moçambique violações das leis orçamentais mas por fraude electrónica, fraude de valores mobiliários, suborno e branqueamento de capitais.

Entretanto Manuel Chang continua detido e deverá voltar ao Tribunal de Kempton Park, na cidade de Joanesburgo, no próximo dia 26 para audiência sobre os pedidos de extradição dos EUA e de Moçambique. Independentemente da sentença judicial a lei sul-africana estabelece que a decisão final será sempre política, sendo evidente que as relações históricas entre o Congresso Nacional Africano (ANC) e o partido Frelimo falaram mais alto neste caso.

A confirmar-se a devolução de Chang para Moçambique será uma importante vitória para o Presidente Filipe Nyusi que não tem poupado esforços para evitar a extradição para os Estados Unidos da América e limitar os danos políticos na sua reeleição e do seu partido nas Eleições Gerais de Outubro próximo.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 5
FracoBom