Escritórios AJUDEM vandalizados em Maputo
Destaques - Newsflash
Escrito por Emildo Sambo  
Quarta, 22 Agosto 2018 22:59
Share/Save/Bookmark

Pessoas ainda não identificadas vandalizaram os escritórios da Associação Juvenil para o Desenvolvimento de Moçambique (AJUDEM), na madrugada de quarta-feira (22), cidade de Maputo, confirmou o mandatário da mesma, Zefanias Langa.

As instalações localizam-se no bairro do Aeroporto “B”. Os bens vandalizados são documentos diversos, arquivos e mobiliário e os meliantes apoderaram-se de cheques.

A acção aconteceu pouco tempo depois de a Comissão Nacional de Eleições (CNE) ter notificado os quatro candidatos que alegam ter sido alistados na candidatura daquela agremiação para as eleições autárquicas de 10 de Outubro, sem consentimento, para formalizarem a sua retirada num prazo de 10 dias, conforme estabelece o no número 2, do artigo 30, da Lei número 7/2018, de 3 de Agosto.

Desconhece-se o móbil do crime. A Polícia da República de Moçambique (PRM) esteve no local para efeitos de investigação e não se pronunciou a respeito do acontecimento.

Zefanias Langa, porta-voz da agremiação que vai concorrer nas eleições autárquicas de Outubro próximo, encabeçada por Samora Machel Júnior, presumiu que os mentores dos estragos pretendiam roubar o carimbo da associação para fins não apurados.

De acordo com a fonte, os bandidos levaram consigo apenas documentos da tesouraria e a caderneta de cheques. Os outros bens, tais como computadores não foram roubados, pese embora revirados. “Temos a impressão de que eles queriam alguma coisa”.

Ainda relativamente a este caso, a AJUDEM descobriu, na posse da secretária daquele bairro, um documento pertencente a uma cidadã identificada pelo nome de Yolanda Raquel Hilário Guibunda. Ela faz parte dos quatro membros notificados pela CNE para formalizarem a sua desistência de integrar a lista da associação.

Os outros três indivíduos são Roberto Luís Sipechele, Anastácia Domingos Sigaúque Uamusse e Gaspar Paporo Inrebo Marques.

Yolanda Guibunda é residente no bairro do Aeroporto “B”. Na carta de denúncia do facto de ter sido alistada, supostamente de forma ilegal, na candidatura da agremiação da qual se desvinculou, ela assume que “actualmente é uma das assinantes da conta bancária da AJUDEM”.

A associação é encabeçada por Samora Machel Júnior, filho do falecido primeiro Presidente de Moçambique independente, Samora Machel. O seu mandatário, Zefanias Langa, disse na terça-feira (21) que os seus membros são vítimas de perseguições políticas.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Quinta, 23 Agosto 2018 08:04
 
Avaliação: / 0
FracoBom