Polícia detém suspeitos de caça furtiva em Macossa
Destaques - Newsflash
Escrito por Redação  
Domingo, 30 Setembro 2018 21:45
Share/Save/Bookmark

A Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve, na semana finda, dois indivíduos, moçambicanos, acusados de abate ilegal de javalins e de elefantes, no distrito de Macossa, província de Manica.

Na posse dos indiciados, as autoridades apreenderam duas pontas de marfim e quantidades não especificadas de carne de javalins. Acredita-se que os animais tenham sido abatidos por encomenda.

Mateus Mindú, porta-voz do Comando Provincial da PRM, em Manica, os suspeitos foram recolhidos aos calabouços quando pretendiam vender a carne e os dentes de paquidermes.

"Eles estavam à procura de compradores das pontas de marfim e vendiam a 30 mil cada", disse o agente da lei e ordem, secundado pelos próprios suspeitos, que assumiram o crime.

Sem indicar o presumível mandante, um dos suspeitos disse: " estávamos à procura de cliente quando Polícia nos deteve. Não sabíamos que é crime ter pontas de marfim e caçar javalins".

Em Moçambique, o envolvimento na caça furtiva ou posse ilegal de produtos de espécies faunísticos é punível com penas que variam de 12 a 16 anos de prisão.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom