Autarquicas 2018: CNE reconhece morosidade na emissão de credenciais
Destaques - Newsflash
Escrito por Emildo Sambo  
Segunda, 08 Outubro 2018 07:23
Share/Save/Bookmark

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) reconheceu que há morosidade na credenciação dos delegados de candidatura dos partidos políticos, dos observadores eleitorais e dos demais interessados nas eleições desta quarta-feira (10). Porém, para solucionar o problema ordenou que, em vez do cartão normal, a credencial por de ser feita em papel A4, se for necessário.

“Se não é possível emitir uma credencial em forma de cartão, que se emita em forma de folha A4”, disse o presidente daquele órgão do Estado, Abdul Carimo, na sexta-feira (05), em Maputo, no lançamento de plataformas informáticas para as presentes eleições.

De acordo com ele, os problemas devem-se, em parte, ao facto de algumas formações políticas “submeterem os pedidos de credenciação tardiamente”.

Contudo, nada justifique os obstáculos que têm sido reportadas nas províncias, sobretudo na cidade de Maputo, disse a fonte e esclareceu que os pedidos de credenciação ainda não respondidos foram submetidos, na mesma sexta-feira, ao centro de imprensa do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) instalado no Centro das Telecomunicações de Moçambique, em Maputo.

O centro em alusão dispõe de melhores condições de trabalho e maior número de pessoal para atender à demanda, segundo Abdul Carimo. Os órgãos eleitorais não podem usar como desculpa a desorganização dos partidos políticos e das demais entidades para não fazerem o trabalho que lhes competem.

Os observadores eleitorais, por exemplo, devem ser credenciados na mesma altura que submetem o expediente para o efeito, disse Carimo.

Na sua perspectiva, os órgãos eleitorais “devem-se esmerar e esforçarem-se para atender à demanda. Sabemos que à última hora, mais pedidos virão”.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Terça, 09 Outubro 2018 08:26
 
Avaliação: / 0
FracoBom