Editorial
Escrito por Redação  
Sexta, 26 Abril 2019 07:50
Share/Save/Bookmark

A cada dia que passa fica claro que o partido Frelimo é uma fábrica de fazer ladrões. Aliás, quando o assunto é produzir ladrões dos cofres de Estado, o partido Frelimo não tem mãos a medir. A actual situação que se vive no nosso país é paradigmático da qualidade e quantidade de indivíduos que se apoderam dos bens públicos para o benefício próprio e do partido no poder, deixando os moçambicanos cada vez mais na mais desgrenhada miseria.

O mais curioso é que esta fábrica produz ladrões de grande gabarito, todos eles ocupando posições chaves no Governo. Desde o então ministro da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, passando pela antiga PCA do Fundo de Desenvolvimento Agrário.

Aliás, para além do ex-ministro das Finanças e a sua turma que deixaram o país à beira do abismo, também a antiga ministra do Trabalho fez das suas durante o seu reinado. Ela recebeu subornos de 100 milhões de meticais para favorecer empresas de construção civil e do sector gráfico em contratos com a Segurança Social.

À semelhança de outros ladrões fabricados pelo partido Frelimo, quando questionada, a ex- -governante afirmou que parte do valor foi usado para o partido, especificamente para apoiar a campanha eleitoral de Filipe Nyusi. E o mais caricato é o silêncio do partido e do seu presidente, o que de certa maneira demonstra a sua cumplicidade nesses rombos.

Temos assistidos as figuras ligadas ao partido no poder cada vez mais ricos, por um lado, e por outro, a população continua cada vez mais pobres, a receberem algumas migalhas de esmola. Mas, o mais preocupante e revoltante nessa história toda é que os ladrões continuam a circular pelas artérias do país, zombando os moçambicanos honestos que, com muito suor e até sangue, contribuem com os seus impostos.

A verdade é que, se os moçambicanos não se puserem a pau e se, como povo, não sairem todos a rua, o Governo da Frelimo, mais os autarcas e os deputados das mesmas cores políticas vão mesmo arrastar o país para a desgraça mais do que se encontra, o que deixará a população a minguar.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 6
FracoBom