Editorial



Escrito por Redação   
Quinta, 16 Outubro 2014 14:53

Esperamos que os mais de dez milhões de eleitores moçambicanos tenham ido votar, como nós fizemos nesta quarta-feira (15), apesar da pouca transparência de que todo este processo enferma desde … sempre.

Gostaríamos de estar enganados mas é muito provável que as fraudes habituais (roubo de boletins de votos, trocas de cadernos eleitorais, observadores independentes não acreditados, enchimento de urnas, falsificação de editais), e quiçá algumas novas, aconteçam até a divulgação dos resultados afinal um dos candidatos continua a controlar todo o processo eleitoral a seu bel prazer e nem mesmo as melhorias na Lei Eleitoral deverão ser suficientes para a transparência que deveria existir naquelas que muitos dizem ser as mais importantes eleições que Moçambique teve!

Actualizado em Quinta, 16 Outubro 2014 15:27
 
Escrito por Redação   
Quinta, 09 Outubro 2014 19:14

A preocupação em garantir a segurança de cidadãos, e não só, no território nacional devia ser o modus operandi de todos os organismos que têm a obrigação de velar pelo bem-estar dos moçambicanos. Infelizmente, pelas piores razões, a Polícia da República de Moçambique tem-se mostrado fragilizada, sobretudo para combater o crime organizado que tende a ganhar proporções gigantescas e a assumir o rosto da normalidade a cada dia que passa.

Actualizado em Quinta, 09 Outubro 2014 19:18
 
Escrito por Redação   
Quinta, 02 Outubro 2014 17:40

Há sensivelmente duas semanas, dois caçadores ilegais de elefantes foram detidos no distrito de Marrupa, na província do Niassa, próximo à Reserva Nacional do Niassa, na posse de cinco armas de fogo. Poucos dias antes, outras seis pessoas tinham sido presas no mesmo local e acusadas do mesmo tipo de crime. Estas, com certeza, não são as primeiras nem as últimas situações.

As detenções têm sido recorrentes. A prontidão combativa das autoridades está à prova e é reflexo claro da nossa incapacidade na protecção do meio ambiente, da fauna e flora. A fragilidade de vigilância por pate das comunidades é clara e elas parecem ser parte do problema; por isso, está a ser difícil combater o mal. Um Estado não pode admitir que práticas violentas, intoleráveis e completamente supérfluas sejam perpetradas contra animais protegidos por lei.

Actualizado em Sexta, 03 Outubro 2014 06:22
 
Escrito por Redação   
Quinta, 25 Setembro 2014 12:18

Moçambique é, de acordo com a Constituição da República, um Estado de Direito, baseado no pluralismo de expressão, na organização política democrática, no respeito e na garantia dos direitos e liberdades fundamentais do homem. Nesse sentido, sem a preocupação rigorosa com a definição do termo, entende-se que a Democracia não pressupõe apenas a liberdade de os indivíduos escolherem os seus representantes, mas também ela assenta na cultura cívica, uma vez que se trata de um aspecto importante na consolidação democrática.

Actualizado em Quinta, 25 Setembro 2014 16:00
 
Escrito por Redação   
Quinta, 18 Setembro 2014 14:55

A obtenção de um emprego digno, sobretudo o primeiro, é o sonho que move muitos compatriotas a travarem batalhas titânicas com vista a conseguirem uma vaga na Administração Pública. Porém, o mesmo cidadão, quando passa de desempregado para empregado, envereda pela preguiça, desatenção, indiferença e pelo desleixo, em relação às suas tarefas. Esta é a realidade que se vive no posto administrativo de Anchilo, no distrito de Nampula-Rapale, onde os profissionais da Saúde, afectos ao Centro de Saúde de Anchilo, deixam desavergonhadamente os doentes que apresentam sintomas de VIH/SIDA e tuberculose, internados naquela unidade sanitária, à sua própria sorte.

Actualizado em Quinta, 18 Setembro 2014 15:11
 
Escrito por Redação   
Quinta, 11 Setembro 2014 19:45

O desvio e o roubo de dinheiros públicos por quem os tinha a seu cargo tende a ser um crime comum nas instituições públicas. O saque é pela medida grande e os estratagemas a que se recorre para delapidar o erário são sempre os mesmos: falsificação de folhas de salários e de assinaturas e pagamentos de vencimentos a funcionários que nunca existiram ou até mesmo a quem já não faz parte do mundo dos vivos. Isto não é aceitável e rompe com quaisquer pressupostos de uma administração pública que se rege por princípios de decência.

Actualizado em Quinta, 11 Setembro 2014 21:11
 
Escrito por Redação   
Quinta, 04 Setembro 2014 15:44

No último domingo, um repórter nosso, em Nampula, foi deliberadamente submetido a sevícias por certos indivíduos ligados ao município, a mando do vereador de Administração e Recursos Humanos, António Gonçalves, em conluio com o delegado político provincial do MDM, Rachade Carvalho.

Acontece que, na manhã do mesmo dia, os subalternos do edil de Nampula, Mahamudo Amurane, mantiveram em cárcere privado, no Salão Nobre da edilidade, mais de 50 mulheres que exigiam a observância dos seus direitos, que alegam terem sido infringidos após serem recrutadas, na primeira quinzena de Fevereiro passado, para limparem a cidade no âmbito de uma campanha denominada “Warya wa Wamphula”, que em língua portuguesa significa “Brilho de Nampula”.

Actualizado em Quinta, 04 Setembro 2014 17:23
 
Início Anterior 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 Seguinte Final

Pág. 20 de 23