Editorial



Escrito por Redação   
Quinta, 18 Dezembro 2014 15:05

Em poucas horas, entre a noite da última segunda-feira e a manhã de terça-feira, os problemas de falta de projectos de engenharia e consistência das construções públicas e privadas, na cidade de Maputo, mormente na periferia, foram, mais uma vez, expostos pela chuva. E, certamente, nenhuma lição se tira desta situação, nem por parte das autoridades nem das vítimas. Aqueles com quem celebramos o “contrato social” fingem que não ouvem os gritos atroadores de pedidos de socorro.

Actualizado em Quinta, 18 Dezembro 2014 18:31
 
Escrito por Redação   
Quinta, 11 Dezembro 2014 18:08

Reza o conhecimento colectivo que um indivíduo egoísta é aquele que acredita que, na sua perspectiva de ser, é mais importante do que os demais seres. Talvez este adjectivo não seja adequado para qualificar o Presidente da República, Armando Emílio Guebuza. Mas, nalgum momento, pode descrever o que temos vindo a assistir nos últimos dias. É que, inoportunamente ou não, o Chefe de Estado moçambicano, a escassos meses do fim do seu mandato, foi atacado por um bravo síndrome de inauguração. O PR desdobra-se em sucessivas iniciativas de descerrar o pano sobre a lápide de tudo quanto é estabelecimento no país.

Actualizado em Quinta, 11 Dezembro 2014 18:21
 
Escrito por Redação   
Quinta, 04 Dezembro 2014 15:41

As leis que entre Maio e Junho deste ano causaram sérios alaridos por serem consideradas o “cúmulo do abuso do poder, falta de respeito e consideração, mau uso dos recursos do povo”, entre outras qualificações, e que foram devolvidas à Assembleia da República pelo Chefe de Estado, Armando Guebuza, para reexame, foram aprovadas. Deverão, novamente, ser submetidas ao mais alto magistrado da Nação para efeitos de promulgação.

Trata-se da Lei da Revisão da Lei do Estatuto, Segurança e Previdência do Deputado, designada Estatuto do Deputado, e da Lei da Revisão da Lei 21/92, de 31 de Dezembro, que estabelece os Direitos e Deveres do Presidente da República em Exercício e após a Cessação de Funções, que foram reanalisadas e aprovadas com recurso à ditadura da maioria absoluta da Frelimo, que ao longo da presente legislatura sufocou a oposição no Parlamento.

Actualizado em Quinta, 04 Dezembro 2014 15:51
 
Escrito por Redação   
Quinta, 27 Novembro 2014 17:30

Em quase todo o mundo, as crianças são a esperança do amanhã e o garante de uma nação. Em Moçambique, parece não haver preocupação em garantir que as gerações vindouras sejam dotadas de capacidade e habilidade para fazer face aos grandes desafios que nos são impostos pela dinâmica mundial em diversos ramos.

Estima-se que, pelo menos, 44 porcento da população infantil moçambicana é desnutrida, apesar de o país contar com milhões de hectares de terra arável e dispor de um potencial na produção agrícola. Devido à desnutrição, quase metade das crianças moçambicanas viverá incapacitada de se desenvolver física e intelectualmente.

Actualizado em Quinta, 27 Novembro 2014 18:28
 
Escrito por Redação   
Quinta, 20 Novembro 2014 15:57

Na manhã de 11 de Novembro corrente, um grupo de curiosos assistiu, impávido e sereno, ao abate de quatro elefantes subitamente vistos a vaguear no canavial da açucareira Tongaat Hulett, no posto administrativo de Xinavane, na província de Maputo. As circunstâncias em que tal situação abominável aconteceu deixaram a nu o despreparo de que as comunidades ainda padecem com vista a liderar a luta contra a caça ilegal de paquidermes, rinocerontes, leões e outros animais protegidos por lei, mas ameaçados de extinção.

Com uma população como aquela que testemunhou a morte de um casal de elefantes e as suas crias e nada pôde fazer para evitar a tragédia, fica claro que o país não está em condições de reduzir a caça furtiva nem assegurar que não sejam as próprias comunidades a envolverem-se na morte destas espécies. O sinal de que perdemos a batalha contra este mal é que os malfeitores agem a seu bel-prazer e ninguém denuncia, mesmo a população que se esperava que fosse proactiva.

Actualizado em Quinta, 20 Novembro 2014 16:29
 
Escrito por Redação   
Quinta, 13 Novembro 2014 15:52

O desaparecimento dos editais das Eleições Gerais de Outubro passado é prova inequívoca do conluio existente entre os órgãos eleitorais e o partido no poder, para além de demonstrar a incapacidade doentia e vergonhosa por parte daqueles organismos que têm a responsabilidade de organizar eleições verdadeiramente livres, justas e transparentes.

Mas, pelo contrário, o escrutínio, além das vergonhosas fraudes, foi marcado por diversas irregularidades, desde o uso excessivo do força policial e expulsão de delegados de mesa pertencentes aos partidos da oposição, entre outros embustes. Como se não bastasse, o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) e a Comissão Nacional de Eleições (CNE) decidiram entrar no jogo a favor do partido Frelimo e o seu candidato, dando sumiço aos editais.

Actualizado em Quinta, 13 Novembro 2014 16:05
 
Escrito por Redação   
Quinta, 06 Novembro 2014 17:07

A partir da altura em que o Governo e a Renamo assinaram o segundo acordo de cessar-fogo, a 05 de Setembro último, em Maputo, abriu-se um caminho para o desarmamento deste partido e integração dos seus membros nas Forças de Defesa e Segurança e na vida económica e social do país com vista a estarem em conformidade com a Lei-Mãe, que não abre espaço para que os partidos políticos estejam armados.

Na última ronda do diálogo político, as negociações entre as partes voltaram a cair num impasse porque o Executivo exige que a Renamo revele quantos tem sob o seu comando, mas este partido, igual a si próprio, condiciona a divulgação da tão desejada informação à apresentação do modelo de integração. Que tempo este partido está a fazer para entregar as armas?

Actualizado em Sexta, 07 Novembro 2014 12:03
 
Início Anterior 21 22 23 24 25 Seguinte Final

Pág. 21 de 25