Editorial



Escrito por Redação   
Quinta, 13 Novembro 2014 15:52

O desaparecimento dos editais das Eleições Gerais de Outubro passado é prova inequívoca do conluio existente entre os órgãos eleitorais e o partido no poder, para além de demonstrar a incapacidade doentia e vergonhosa por parte daqueles organismos que têm a responsabilidade de organizar eleições verdadeiramente livres, justas e transparentes.

Mas, pelo contrário, o escrutínio, além das vergonhosas fraudes, foi marcado por diversas irregularidades, desde o uso excessivo do força policial e expulsão de delegados de mesa pertencentes aos partidos da oposição, entre outros embustes. Como se não bastasse, o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) e a Comissão Nacional de Eleições (CNE) decidiram entrar no jogo a favor do partido Frelimo e o seu candidato, dando sumiço aos editais.

Actualizado em Quinta, 13 Novembro 2014 16:05
 
Escrito por Redação   
Quinta, 06 Novembro 2014 17:07

A partir da altura em que o Governo e a Renamo assinaram o segundo acordo de cessar-fogo, a 05 de Setembro último, em Maputo, abriu-se um caminho para o desarmamento deste partido e integração dos seus membros nas Forças de Defesa e Segurança e na vida económica e social do país com vista a estarem em conformidade com a Lei-Mãe, que não abre espaço para que os partidos políticos estejam armados.

Na última ronda do diálogo político, as negociações entre as partes voltaram a cair num impasse porque o Executivo exige que a Renamo revele quantos tem sob o seu comando, mas este partido, igual a si próprio, condiciona a divulgação da tão desejada informação à apresentação do modelo de integração. Que tempo este partido está a fazer para entregar as armas?

Actualizado em Sexta, 07 Novembro 2014 12:03
 
Escrito por Redação   
Quinta, 30 Outubro 2014 17:05

Na tarde de 21 de Outubro, um agente da Polícia de Investigação Criminal (PIC) foi alvejado a tiro na Avenida Mao Tse Tung, em Maputo, e sobreviveu por um triz. À mesma hora, a 22 do mesmo mês, uma cidadã de ascendência asiática foi sequestrada na Avenida Milagre Mabote, também, em Maputo, deixando claro que para a Polícia e a Justiça ainda prevalece a árdua tarefa de investigar e deter os verdadeiros cabecilhas deste crime, que pulam entre nós.

Na mesma cidade, a 24 de Outubro, os serial killers, ora à solta e que aparentemente não só controlam os movimentos das suas vítimas, mas, também, das autoridades da Lei e Ordem, perpetraram mais uma acção selvagem: Paulo Estêvão Daniel (Danger Man) foi crivado mortalmente de balas. Estes problemas gravíssimos, que apavoram todos nós, tornaram-se um modus vivendi e um modus operandi de facções do crime organizado perante o desespero aterrador da sociedade e a incapacidade do Estado.

Actualizado em Quinta, 30 Outubro 2014 18:48
 
Escrito por Redação   
Quinta, 23 Outubro 2014 14:58

Realizaram-se, no passado dia 15 de Outubro, as quintas eleições gerais no país e, como sempre, a Comissão Nacional das Eleições (CNE) e o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) perderam, mais uma vez, a oportunidade de mostrar a todos os moçambicanos, e não só, que são organismos estatais que merecem a credibilidade e a confiança do povo.

Actualizado em Quinta, 23 Outubro 2014 15:15
 
Escrito por Redação   
Quinta, 16 Outubro 2014 14:53

Esperamos que os mais de dez milhões de eleitores moçambicanos tenham ido votar, como nós fizemos nesta quarta-feira (15), apesar da pouca transparência de que todo este processo enferma desde … sempre.

Gostaríamos de estar enganados mas é muito provável que as fraudes habituais (roubo de boletins de votos, trocas de cadernos eleitorais, observadores independentes não acreditados, enchimento de urnas, falsificação de editais), e quiçá algumas novas, aconteçam até a divulgação dos resultados afinal um dos candidatos continua a controlar todo o processo eleitoral a seu bel prazer e nem mesmo as melhorias na Lei Eleitoral deverão ser suficientes para a transparência que deveria existir naquelas que muitos dizem ser as mais importantes eleições que Moçambique teve!

Actualizado em Quinta, 16 Outubro 2014 15:27
 
Escrito por Redação   
Quinta, 09 Outubro 2014 19:14

A preocupação em garantir a segurança de cidadãos, e não só, no território nacional devia ser o modus operandi de todos os organismos que têm a obrigação de velar pelo bem-estar dos moçambicanos. Infelizmente, pelas piores razões, a Polícia da República de Moçambique tem-se mostrado fragilizada, sobretudo para combater o crime organizado que tende a ganhar proporções gigantescas e a assumir o rosto da normalidade a cada dia que passa.

Actualizado em Quinta, 09 Outubro 2014 19:18
 
Escrito por Redação   
Quinta, 02 Outubro 2014 17:40

Há sensivelmente duas semanas, dois caçadores ilegais de elefantes foram detidos no distrito de Marrupa, na província do Niassa, próximo à Reserva Nacional do Niassa, na posse de cinco armas de fogo. Poucos dias antes, outras seis pessoas tinham sido presas no mesmo local e acusadas do mesmo tipo de crime. Estas, com certeza, não são as primeiras nem as últimas situações.

As detenções têm sido recorrentes. A prontidão combativa das autoridades está à prova e é reflexo claro da nossa incapacidade na protecção do meio ambiente, da fauna e flora. A fragilidade de vigilância por pate das comunidades é clara e elas parecem ser parte do problema; por isso, está a ser difícil combater o mal. Um Estado não pode admitir que práticas violentas, intoleráveis e completamente supérfluas sejam perpetradas contra animais protegidos por lei.

Actualizado em Sexta, 03 Outubro 2014 06:22
 
Início Anterior 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Seguinte Final

Pág. 30 de 34