Editorial



Escrito por Redação   
Sexta, 24 Novembro 2017 08:17

Desde a Independência Nacional, a governação da Frelimo tem sido marcada por actos que não têm estado a contribuir para o bem-estar dos moçambicanos, mas sim para um punhado de indivíduos ligados ao partido. A governação de Filipe Nyusi não é uma excepção. Ela é marcada de discursos vazios. Os moçambicanos querem ver acções ou obras políticas, e não discursos e politiquice. Mas não quaisquer acções.

É que estamos, como sociedade, numa altura em que os moçambicanos esperam obras por parte do Chefe de Estado, mas este limita¬-se em politiquices e, devido a essa situação, o país continua a ver a sua reputação mergulhada na lama. A título de exemplo, no índice de Governação Africana (IIAG) de 2017, Moçambique caiu duas posições, o que quer dizer que a governação de Filipe Nyusi não está a ser melhor do que a do seu antecessor, que empurrou este país para a sarjeta.

 
Escrito por Redação   
Sexta, 17 Novembro 2017 07:59

A cada dia que passa fica evidente que os dirigentes e gestores deste país o único sentido de economia que têm é o de esbanjamento desenfreado dos bens públicos. Não é preciso ser um especialista em economia para prever o abismo em que o povo moçambicano tem sido forçosamente empurrado nos últimos tempos. Basta apenas ter o conhecimento semelhante à de milhares de moçambicanos, sobretudo as donas de casa cujo único sentido de economia que conhecem é o de gerir durante um mês 10 quilos de farinha de milho, cinco litros de óleo vegetal e uma lâmina de carapau congelado com um agregado familiar-tipo em Moçambique com pelo menos cinco pessoas.

Actualizado em Segunda, 20 Novembro 2017 08:06
 
Escrito por Redação   
Quinta, 09 Novembro 2017 22:06

Quando, há poucas semanas, assistimos ao Tribunal Judicial da Cidade de Nampula a condenar Manuel Tocova, edil interino de Nampula, pelo crime de desobediência, a reacção de todos foi de espanto e indignação. Sucede que, na história da Justiça moçambicana, não há registo de celeridade de um processo, à semelhança do que aconteceu com Tocova. Aliás, é sempre assim quando se trata de casos envolvendo indivíduos que não estão ligados ao partido no poder.

Foi impressionante a forma como os órgãos da justiça a nível de Nampula se desdobraram para condenar o edil interino acusado de recusar-se a fornecer documentos sobre exoneração de vereadores solicitados pelo Ministério Público. Ainda nesta semana, as notícias dando conta da prisão de Tocova, acusado de porte ilegal de arma de fogo, voltaram a causar espanto. É por demais evidente que a nossa Justiça anda enviesada e está ao serviço do regime da Frelimo para distrair o povo moçambicano dos reais problemas que preocupam a nação.

Actualizado em Sábado, 11 Novembro 2017 10:48
 
Escrito por Redação   
Sexta, 03 Novembro 2017 08:15

O Governo da Frelimo continua a seguir à risca o seu o plano terrorista de empurrar os cidadãos moçambicanos para a mais desgrenhada miséria. Trata-se de um plano macabro que tem sido colocado em marcha, sem dó nem piedade, desde a Independência Nacional. O elevado índice de pobreza, a falta de hospitais e escolas, são alguns exemplos do descaso que esta turma tem votado a população.

O partido no poder tem estado a usar o sofrimento do povo moçambicano para acumular riqueza para os seus dirigentes. O Governador do Banco de Moçambique já veio ao público fazer o alerta de sempre: o próximo ano os moçambicanos continuarão a ser submetidos a um dos mais dramáticos e sofrível exercício de sobrevivência. Na verdade, essa alerta é feita apenas para a população, que com sangue e suor sustentam as mordomias desse grupo de incompetentes que dirigem o país.

 
Escrito por Redação   
Sexta, 27 Outubro 2017 08:55

Um aeroporto não se constrói todos dias e, ainda por cima, um aeroporto internacional. Não há sombras de dúvidas de que os aeroportos são de suma importância e reflectem o esforço e a necessidade de um povo, de um Governo e de uma Nação. Eles são importantes na vida de um homem, de uma mulher e de um país. Um aeroporto é uma infra-estrutura económica e social, muito importante numa perspectiva de mobilidade nacional e internacional. E não só. Também sob o ponto de vista do desenvolvimento, crescimento e equidade entre os moçambicanos.

Porém, a construção de um Aeroporto Internacional na província de Gaza não é um investimento prioritário neste momento, não obstante o Presidente da República, Filipe Nyusi, defenda que o mesmo possui enorme potencial para impulsionar o desenvolvimento socioeconómico, particularmente no sector do turismo. Isto é o cúmulo da estupidez!

 
Escrito por Redação   
Sexta, 20 Outubro 2017 08:01

Parece que já não há dúvidas que o discurso sobre o combate à corrupção na Administração Pública não passa disso. Quase todos os dias, temos vindo a assistir ao Presidente da República, Filipe Nyusi, a demonstrar supostamente a sua revolta contra esse mal que tem vindo a postergar o futuro de uma nação. Mas, para tristeza dos moçambicanos, existe um desfasamento entre o discurso de Nyusi e as acções concretas para estancar essa problemática. A dada altura a sensação que fica é de que não vontade política, sobretudo ao mais alto nível, para combater à corrupção em Moçambique ou, por outro lado, o Chefe de Estado não tem poderes suficientes para impor medidas contra os corruptos que assaltaram o Aparelho do Estado.

Actualizado em Segunda, 23 Outubro 2017 08:05
 
Escrito por Redação   
Sexta, 13 Outubro 2017 04:41

Comemorou-se, nesta semana, o Dia Mundial da Rapariga, e, certamente, milhões de raparigas moçambicanas não tomaram conhecimento desta importante efeméride ao seu respeito. Há várias razões para essa ignorância (leia-se desconhecimento), pois é sabido, por experiência, que o Governo está a marimbar-se para a situação das raparigas moçambicanas e não só.

Aliás, como cogumelos depois da chuva, despontam em Moçambique quase todos os dias organizações não governamentais que supostamente se dedicam à causa da rapariga. Na verdade, não passam de organizações que se confinam os dias inteiros nos hotéis, salas climatizadas e persianas fechadas em centros urbanos a fazerem as habituais conferências e palestras de empoderamento que custam milhões de meticais, que no final do dia serve para justificar o dinheiro que receberam.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 6 de 29