Editorial



Escrito por Redação   
Sexta, 25 Maio 2018 08:01

Há sensivelmente oito meses, dava muito gosto circular pelas artérias da cidade de Nampula. A impressão que ficava é o edil assassinado, Amurane, e a sua equipa tinham um projecto sério de tornar Nampula na cidade mais limpa do país. Porém, a situação hoje é lamentável, pois subitamente as ruas foram invadidas por todo tipo de negócios.

Presentemente, quem caminha pelas principais artérias, para além de disputar os passeios com as viaturas, é forçosamente obrigado a dividir os mesmos com vendedores informais que fazem deles os seus postos de trabalho. São pessoas que incansavelmente “mendigam” o pão diário. São, na verdade, cidadãos à mercê de uma justiça social excludente e desactualizada. Na sua maioria, são pessoas oriundas dos bairros limítrofes pobres. Vendem de tudo, desde cebola, passando pelo vestuário e calçado até aos telemóveis e os seus mais diversos acessórios, sob olhar impotente da edilidade.

Actualizado em Segunda, 28 Maio 2018 08:08
 
Escrito por Redação   
Sexta, 18 Maio 2018 08:10

Terminou na última quinta- -feira (17) a escala nacional o recenseamento eleitoral em vista as quintas eleições autárquicas de Outubro do corrente ano. Como sempre, o último dia foi marcado por enchentes. Os eleitores alegam que falta de sistemas e avarias dos equipamentos usados pelos recenseadores é que condicionaram as suas inscrições.

A enchente no último dia mostra, na verdade, que os moçambicanos têm uma profunda consciência da importância do cartão de eleitor, pois só com ele é possível realizar mudança, embora a ideia de mudança ainda gera uma profunda desconfiança e, de certa maneira, medo nos moçambicanos.

 
Escrito por Redação   
Sexta, 11 Maio 2018 08:25

Afonso Dhlakama, o presidente do partido Renamo, não foi apenas o líder do maior partido da oposição em Moçambique. Foi, na verdade, um homem cheio de convicções e que defendeu, sem vergar, os seus ideias até a sua morte. O auto- -intitulado “pai da democracia” em Moçambique liderou a guerrilha contra quatro presidentes do partido Frelimo, mas acabou por falecer na quinta- -feira (03) vítima de doença algures na serra da Gorongosa, na província de Sofala, onde estava refugiado.

 
Escrito por Redação   
Sexta, 04 Maio 2018 08:06

Ultimamente, o Presidente da República, Filipe Nyusi, tem mostrado a versão às críticas que lhe são feitas, a propósito dos seus posicionamentos nada recomendável. Aliás, o Chefe de Estado decidiu, nos últimos dias, esporadicamente responder os seus críticos, mas na verdade não passa de um especialista na arte de vender peixe podre. Há sensivelmente um ano e meio do fim do seu mandato, Nyusi quer convencer aos moçambicanos de que está preocupado com a precariedade de vida que a população leva, resultante de má governação que ele e os seus títeres impõem. Na vã tentativa de aldrabar os eleitores e renovar o seu mandato, ele tem vindo a apresentar soluções paliativas.

Actualizado em Segunda, 07 Maio 2018 11:58
 
Escrito por Redação   
Sexta, 27 Abril 2018 08:19

O Governo da Frelimo não se farta de insultar e, ao mesmo tempo, passar um atestado de estúpido ao povo moçambicano que, desde a Independência Nacional, é forçado a viver na mais desgrenhada miséria. Não fugindo à regra, esta semana, o Executivo de Filipe Nyusi voltou a insultar à dignidade dos trabalhadores, sobretudo os funcionários públicos.

 
Escrito por Redação   
Sexta, 20 Abril 2018 08:06

Desde que foi tornado público as dívidas contraídas ilegalmente pelo Governo da Frelimo, o Presidente da República, Filipe Nyusi, por sinal também um dos arquitectos dessa grande trapaça que empurrou Moçambique para uma situação deplorável, nunca veio a público para falar aos moçambicanos sobre esta realidade. Nyusi tem-se mostrado indiferente aos moçambicanos que o elegeram e a opinião pública. Todas as vezes que o ouvimos a abordar o assunto das dívidas ilegais foi no estrangeiro.

 
Escrito por Redação   
Sexta, 13 Abril 2018 08:14

Já era de se esperar, porém, o Banco de Moçambique informou, esta semana, que o endividamento público bateu recorde de 107, 8 mil milhões de meticais, mantendo- -se, assim, a nível interno o risco relativo à sustentabilidade da dívida pública. Pelo andar da carruagem, a situação económica e financeira do país vai se deteriorando e, consequentemente, o custo de vida vai pesando para os moçambicanos. Na verdade, nos últimos tempos, a população moçambicana vive sob constante aumento de preços de principais bens alimentares e serviços básicos.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 2 de 28