Xiconhoca
Escrito por Redação  
Sexta, 03 Agosto 2018 07:43
Share/Save/Bookmark

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Portagens sem alternativas

Como sempre, o Governo da Frelimo adora colocar os pés pelas mãos. O exemplo mais recente disso é a questão das portagens. Por alguma carga de água, o Executivo de Nyusi decidiu autorizar o Fundo de Estradas a cobrar portagens ao longo da estrada nacioal número 6 (N6), o troço Beira – Machipanda, sem no entanto exista outra estrada alternativa. Isso é sem dúvidas o cúmulo da falta de bom senso. A desculpa usada é de que a estrada será confortável e segura, passando o automobilista a poupar a viatura e comparticipando na manutenção da via. A ideia de utente pagador é boa, mas o mesmo tem de ser feito havendo alternativa. Cabe ao utente escolher se quer ou não pagar pelo uso. Em país normais, os automobilistas têm alternativas à portagens.

Cortes na Saúde

O Governo da Frelimo prossegue em lume brado na sua campanha de sacrificar os moçambicanos. Já não basta o facto de ser o sector mais necessitado, agora o sector da Saúde foi alvo de cortes às dotações que lhe haviam sido aprovadas pela Assembleia da República. Somente no 1º trimestre de 2018 o Governo de Filipe Nyusi cortou mais de 429 milhões de meticais no Orçamento de Estado para Direcções Provinciais de Saúde, Ministério e até mesmo para o Hospital provincial de Quelimane. Esta é, sem dúvidas, uma das provas de que o Governo da Frelimo não está preocupado com a saúde dos moçambicanos, razão pela qual todos os dias centenas de pessoas morrem nas filas das unidades sanitárias e de doenças curáveis. É revoltante quando acontece cortes num sector que cobre menos da metade da população.

Aumento do preço da água potável

A violação dos Direitos Humanos é uma prática retirada no Governo da Frelimo. Por exemplo, ao invés de se melhorar a situação precária por que milhares de moçambicanos passam no que diz respeito ao acesso à água potável, temos vindo a assistir a decisões estupidificantes que têm sido tomadas secretamente. Uma dessas decisões é o aumento do preço de água, situação essa que tendem a empurrar a população para a desgraça. Ou seja, o já sofrido povo moçambicano é forçado mais uma vez a pagar mais caro para ter água para o seu consumo diário. O pior de tudo é que a cada dia, os serviços de abastecimento de água têm vindo a deteriorar- -se, o que faz com que centenas de pessoas fiquem sem água por longos e longos períodos.

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Sexta, 03 Agosto 2018 11:21
 
Avaliação: / 0
FracoBom