Xiconhoca
Escrito por Redação  
Sexta, 12 Outubro 2018 07:31
Share/Save/Bookmark

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Presidentes da AR e PM em campanha com meios do Estado

É deveras vergonhoso que, depois de 43 anos de Independência Nacional, continuamos a assistir situações flagrantes de uso dos meios do Estado para fins partidários. Todos os santos dias canta-se a necessidade de separação do Estado e partido, mas a realidade tem mostrado outra coisa. Um dos aspectos flagrante dessa pouca vergonha tem a ver com o Primeiro-Ministro, Agostinho de Rosário, e a presidente da Assembleia da República, Verónica Macamo. Ambos, fazendo uso dos meios do Estado moçambicano, estiveram envolvidos de forma activa na actividade partidária ao longo dos 13 dias de campanha eleitoral. Esta é, sem dúvidas, uma das maior Xiconhoquice do ano. Não deve continuar a assistir de forma impávida a esse tipo de abuso dos impostos que os moçambicanos pagam com muito sacrifício.

Adiamento da instalação da Alta Autoridade da Indústria Extractiva

É preocupane como o Governo da Frelimo continua a adiar o desenvolvimento dos moçambicanos. O pior de tudo o Governo de Nyusi está deliberadamente a violar a lei. Um do casos mais absurdos é o facto de estar a adiar a instalação da Alta Autoridade da Indústria Extractiva (AAIE) que, por força da Lei de Minas, deveria ter entrado em funcionamento em Agosto de 2015. O ministro Max Tonela disse existir apenas “um draft da proposta” das competências que serão atribuídas a essa instituição que deverá melhorar a monitoria das tentativas de evasão fiscal por parte das multinacionais que exploram os nossos recursos minerais. A incompetência e o descaso do Executivo de Nyusi em relação aos moçambicanos é de bradar aos céus.

Aeroporto de Xai-Xai

É também preocupante a falta de bom senso por parte do Governo da Frelimo. Não se explica por que carga de água o Executivo de Nyusi insiste na construção do desnecessário Aeroporto de Xai-Xai. O pior de tud é que o preço da construção do inviável aeroporto, que começou por custar 12 milhões de dólares, aumentou para 75 milhões de dólares norte-americanos. Depois dos seu antecessor fazer o mesmo, Nyusi lançou a primeira pedra para a construção de mais um aeroporto megalómano e inviável em Moçambique. A referida infra-estrutura aeroportuária que vai ser edificada na cidade de Xai-Xai tem apenas viabilidade política, pois em termos económicos e comerciais não existem razões para a sua construção. Enfim, que grande Xiconhoquice!

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Sexta, 12 Outubro 2018 16:23
 
Avaliação: / 0
FracoBom