Xiconhoca
Escrito por Redação  
Sexta, 23 Novembro 2018 11:58
Share/Save/Bookmark

Os nossos leitores elegeram os seguintes Xiconhocas na semana finda:

Gestores da SIMO que negociaram compra da InterBancos

Os gestores da Sociedade Interbancária de Moçambique (SIMO), empresa Gestora da Rede Única Nacional de Pagamentos, não passam de um bando de incompetentes e verdadeiros trapaceiros. Os Xiconhocas, movidos por interesses pessoais, criaram o maior caos na maior rede de cartões, ATM’s e POS’s em Moçambique. Esse bando de Xiconhocas colocou o povo moçambicano numa situação de total sufoco durante quatro dias.

José Sanguiza

Definitivamente há indivíduos que merecem pena capital. É o caso de José Sanguiza que assassinou o seu amigo, alegandou que o confundiu com um hipopótamo, durante a caça, na vila sede do distrito de Caia, província de Sofala. O mais impressionante é que, consumado o acto, o Xiconhoca escondeu o cadáver numa mata, tendo sido localizado dias depois já em avançado estado de degradação. Como forma de eliminar testemunhas do crime, o sujeito tentou matar igualmente um outro colega de caça, quando este descobriu que o companheiro tinha sido alvejado mortalmente.

Primeiro-ministro

O Primeiro-Ministro moçambicano, Agostinho de Rosário, devia prosseguir em lume brando no seu papel cosmético no Governo. O Xiconhoca, sem olhar para os interesses do país, cedeu a chantagem dos lobistas do regime e desautorizou o Governador do Banco de Moçambique que defendeu que a SIMO preferia implementar uma solução alternativa que não passasse por retomar a parceria com a empresa portuguesa BizFirst.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom